Violência

Deam abre inquérito para apurar agressão a médica em Pelotas

Profissional levou chutes e puxões de cabelo após o marido de uma gestante se descontrolar durante o parto; agressor será ouvido na delegacia nesta terça

01 de Junho de 2020 - 18h18 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Acusado deve responder por lesão corporal e ameaça (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Acusado deve responder por lesão corporal e ameaça (Foto: Carlos Queiroz - DP)

A Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) vai ouvir nesta terça-feira (2) o autor das agressões à médica do Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE-UFPel), a ginecologista e obstetra Scilla Lazzarotto, que prestou depoimento nesta segunda. Trata-se de um caso inusitado para a Especializada. De acordo com a titular da Deam, delegada Márcia Chiviacowsky, o acusado deverá responder, em princípio, por lesão corporal e ameaça.

De acordo com a ocorrência, a médica relatou que a paciente tinha a expectativa de parto normal e internou durante a madrugada do dia 29. Pela manhã, o marido da gestante já demonstrava bastante nervosismo pela demora - chegou a gritar com as enfermeiras e passou a xingar Scilla. "Disse que eu estava torturando a mulher dele", apontou a médica. A situação piorou quando Scilla comunicou que a paciente teria de passar por cesárea. O jovem passou a fazer ameaças, dizendo que estava com duas armas na capanga. Scilla pediu calma e, ao virar as costas, levou um chute que a fez cair no chão. Nesse momento, o agressor a pegou pelos cabelos, puxou por várias vezes e depois fugiu do hospital. A vítima passou por exame de corpo delito. Já a gestante, seguiu o procedimento indicado e mãe e filho passam bem.

Nota de repúdio 

O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) emitiu nota condenando a agressão sofrida pela médica e anunciou ainda que iniciará um conjunto de ações envolvendo o episódio.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados