Alternativa

Bombeiros do Fragata estão sem efetivo

3º Comando Regional nega que o local esteja fechado e garante que há expediente e um plantonista

14 de Dezembro de 2019 - 11h04 Corrigir A + A -
Reportagem esteve na Unidade e encontrou o local de portas e janelas fechadas (Foto: Paulo Rossi - DP)

Reportagem esteve na Unidade e encontrou o local de portas e janelas fechadas (Foto: Paulo Rossi - DP)

Viatura administrativa foi uma das enviadas para ocorrência no Centro na noite de quinta-feira (Foto: Leandro Lopes - DP)

Viatura administrativa foi uma das enviadas para ocorrência no Centro na noite de quinta-feira (Foto: Leandro Lopes - DP)

Desde a última segunda-feira (9), o quartel dos Bombeiros do Fragata está sem atendimento à população. A situação se dá devido ao envio dos servidores a Rio Grande para o curso de treinamento de guarda-vidas civis. Ao total, 21 bombeiros estão fora da Unidade. Na última quinta-feira, um incêndio de grandes proporções que atingiu uma área descampada no Sítio Floresta, nas proximidades dos apartamentos populares, foi controlado por bombeiros do Centro e das Três Vendas. No mesmo horário, um outro incêndio ocasionado por um botijão de gás ocorreu no centro da cidade. Na ocorrência, foram enviadas viaturas administrativas, já que as demais guarnições estavam nas Três Vendas acompanhando o caso. Apesar de as chamas terem sido controladas em ambos os casos, uma servidora reclamou e disse que o batalhão do Fragata está fechado por falta de efetivo.

De acordo com o Setor de Imprensa do 3º Comando Regional do Bombeiros, a Unidade do Fragata não está fechada. Há um servidor plantonista que aciona os colegas em caso de ocorrências na região, além disso, foi montado um plano de apoio em casos de emergência. Conforme o comando, a comunidade não fica prejudicada, porque o serviço é feito, entretanto o tempo de resposta até o chamado pode ser alguns minutos mais demorados. "O batalhão no Fragata facilita devido ao ponto em que está localizado, mas não significa que a população fica prejudicada, porque os atendimentos estão sendo feitos. Na Unidade também temos um caminhão", explicou sargento Fabiano.

A previsão de retorno dos bombeiros ao batalhão do Fragata é de que ela ocorra no próximo dia 21, data em que se inicia a Operação Golfinho e quando os novos guarda-vidas colocarão em prática os ensinamentos relacionados à atividade de salvamento aquático. A unidade é responsável pelo atendimento de, pelo menos, 80 mil moradores da região. Agora, dos três quartéis de Pelotas, apenas o do Centro e o das Três Vendas estão em pleno funcionamento.

Embora a situação seja outra, em 2016, o batalhão do Fragata chegou a fechar as portas e suspender as atividades de forma temporária, devido à falta de repasse das horas extras e ao déficit de funcionários.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados