Parceria

Apac de Pelotas recebe doação de 20 computadores

Instituição, que é uma estratégia do Pacto Pelotas pela Paz, recebeu os equipamentos do Tribunal de Justiça

25 de Novembro de 2021 - 13h08 Corrigir A + A -
O pedido deu-se logo após diversos reeducandos terem conquistado vagas em cursos, na modalidade a distância, no início de 2021. 

 (Foto: Divulgação - DP)

O pedido deu-se logo após diversos reeducandos terem conquistado vagas em cursos, na modalidade a distância, no início de 2021. (Foto: Divulgação - DP)

A Associação de Proteção aos Condenados (Apac) de Pelotas iniciou a semana recebendo a doação que irá permitir, aos seus recuperandos, o início e o prosseguimento dos estudos - um dos pilares da metodologia que integra o Pacto Pelotas pela Paz, política pública da Prefeitura. O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) encaminhou, na terça-feira (23), 20 computadores à instituição. 

A doação é oriunda, conforme explica o presidente da Apac, Leandro Thurow, de uma solicitação protagonizada pela direção da instituição e encaminhada pelo juiz de Direito, Afonço Carlos Bierhals, da Vara de Execuções Criminais de Pelotas, ao TJRS. O pedido deu-se logo após diversos reeducandos terem conquistado vagas em cursos, na modalidade a distância, no início de 2021. 

Cinco recuperandos já alcançaram o ensino superior e sete obtiveram vagas em cursos técnicos – a exemplo de Lucas Lessa de 30 anos, que entrou para o curso de Educação Física da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), pelo Exame Nacional do Ensino Média (Enem), enquanto cumpria pena, e de Sandro Swesson, 39 anos, aprovado em primeiro lugar no processo seletivo para o curso de Edificações no Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul).  

Agora, 20 ressocializandos fazem parte da Apac. Com a doação dos equipamentos, todos poderão seguir ou iniciar seus estudos. Os computadores serão instalados no laboratório de informática, sanando a grande deficiência que era a falta de máquinas. Anteriormente, a Associação contava com apenas três, de voluntários, que eram utilizados em sistema de revezamento e, consequentemente, com acesso limitado. 

“O estudo é um dos pilares da metodologia apaqueana, sendo obrigatório a todos os recuperandos que não possuem Ensino Médio completo. A doação dos 20 computadores, pelo Tribunal de Justiça do RS, intermediada pelo juiz Afonço Bierhals, representa a quebra de uma grande barreira física de acesso à educação e novas oportunidades”, finalizou Thurow.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados