Justiça

Acusados de matar criança em Pelotas vão a júri popular na próxima terça-feira

Os réus são padrasto, mãe e avó do menino Davi Brisolari Nogueira, de apenas três anos, morto em novembro de 2017 após ser espancado pelos acusados

04 de Outubro de 2019 - 16h29 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

Vão a júri popular na próxima terça-feira (8), Leonir Braga da Silva, Carla Jardel Brisolari Nogueira e Rosângela Brisolari acusados de homicídio triplamente qualificado praticado contra uma criança, no Fragata, em Pelotas. Os réus são padrasto, mãe e avó, respectivamente, do menino Davi Brisolari Nogueira, de apenas três anos, morto em novembro de 2017 após ser espancado pelos acusados. O trio ainda responde por tentativa de homicídio contra uma das irmãs da vítima, também de três anos que, na época, foi espancada e estrangulada. Leonir, Carla e Rosângela também são acusados de lesão corporal contra outras duas crianças de cinco e seis anos, irmãs de Davi e apenas filhas de Carla. 

Conforme a denúncia do promotor José Olavo dos Passos, Davi foi espancado por Leonir com tapas, socos, chutes, golpes utilizando instrumento em formato de bastão, objetos de ponta (possivelmente garfo) e chineladas após vomitar no acusado. Segundo laudo pericial Davi morreu em consequência de um choque hemorrágico ocasionado pela ruptura da artéria mesentérica superior. De acordo com a acusação, a criança já havia sido agredida por Leonir em outras ocasiões. 

A mãe de Davi, Carla Jardel, foi denunciada pelo MP por ter sido conivente aos atos do então companheiro,  Leonir. Para o promotor, a mulher foi omissa frente às agressões físicas praticadas pelo acusado. Já a avó de Davi, Rosângela, assim como Carla, concorreu para a prática do fato entregando o menino ao casal, já que era a avó quem detinha a guarda da criança. "Essas pessoas tinham o dever de proteger e afastar qualquer tipo de agressão, física ou moral dessas crianças. Sabiam da violência que esses menores sofriam e nada fizeram, concorreram para esses crimes", disse o promotor. O júri começa às 9h30, no Foro de Pelotas.

 

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados