Fraude

1ª DP prende homem de São Paulo que aplicava golpe do cartão em Pelotas

Foram identificadas pelo menos sete vítimas e a polícia conseguiu recuperar R$ 3 mil

08 de Outubro de 2020 - 11h26 Corrigir A + A -
 Foram apreendidos com o golpista R$ 3 mil, quatro máquinas de cartão, nove cartões de vítimas e um smartphone. (Foto: Divulgação - 1ªDP)

Foram apreendidos com o golpista R$ 3 mil, quatro máquinas de cartão, nove cartões de vítimas e um smartphone. (Foto: Divulgação - 1ªDP)

A 1ª Delegacia de Polícia Distrital de Pelotas prendeu em flagrante um criminoso de São Paulo que aplicava o golpe do cartão no município há pelo menos uma semana. Durante as diligências posteriores à prisão, os agentes identificaram ao menos sete vítimas. Foram apreendidos com o golpista R$ 3 mil, quatro máquinas de cartão, nove cartões de vítimas e um smartphone.

"Um dos policiais desconfiou da atitude de um homem bem vestido que abordava sua vizinha, que é idosa. Depois disso ele e outro policial passaram a seguir o suspeito, que contratou um Uber para se locomover pela cidade, abordando-o em um posto de gasolina da avenida Bento Gonçalves enquanto tentava sacar dinheiro com cartões da vítima", destacou o delegado titular da 1ª DP, Gustavo Pereira. Somente na quarta-feira, o suspeito tinha sacado R$ 3 mil em dinheiro, além de inúmeras compras realizadas com os cartões das vítimas nas máquinas de cartão que portava. Além disso, o criminoso usava de documento falso para aplicar os golpes.

O delegado alerta o principal grupo alvo desses criminosos: as pessoas de mais idade. "O modus operandi é, em geral, o mesmo. Eles entram em contato através do telefone fixo e afirmam ser de um banco e que a pessoa teve o cartão clonado. Outro golpista vai até o endereço da pessoa para pegar os cartões. Eles têm uma grande desenvoltura para fazer com que as pessoas acreditem na história, tanto que muitas delas passam a senha pessoal", afirmou.

Gustavo Pereira pede que as pessoas não entreguem cartões, pois as instituições financeiras não têm por hábito realizar esse tipo de procedimento. "O trabalho policial foi importante, pois conseguimos realizar inúmeros reconhecimentos pessoais de vítimas que caíram no golpe", finalizou.

O criminoso será indiciado pelo crime de Furto Mediante Fraude, com pena de dois a oito anos e multa e Uso de Documento Falso.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados