Flagrante

1ª DP prende homem com arma de fogo furtada

Suspeito realizou disparos em um condomínio na rua General Osório alegando que os vizinhos estavam fazendo muito barulho

01 de Junho de 2020 - 17h39 Corrigir A + A -
Um dos disparos acertou a janela do banheiro de um vizinho no momento em que ele tomava banho (Foto: Divulgação - Polícia Civil)

Um dos disparos acertou a janela do banheiro de um vizinho no momento em que ele tomava banho (Foto: Divulgação - Polícia Civil)

A Polícia Civil prendeu em flagrante um homem de 60 anos por posse ilegal de arma de fogo na região central de Pelotas. A ação aconteceu durante cumprimento de mandado representado pela 1ª Delegacia de Polícia, quando os policiais localizaram um revólver na casa do suspeito, além de 11 cartuchos deflagrados e cinco intactos, todos calibre .32.

De acordo com o delegado titular da 1ª DP, Gustavo Pereira, a ação teve início após o registro de ocorrência de disparo de arma de fogo em um condomínio na rua General Osório. "Os policiais diligenciaram na intenção de descobrir o autor de disparos que atingiram a janela de um banheiro enquanto o morador estava no banho. O suspeito foi identificado como morador de um bloco vizinho ao da vítima. Durante o cumprimento do mandado, foi localizado o revólver calibre .32 - identificado como furtado", afirmou a autoridade policial.

O revólver da marca Taurus tinha sido furtado em 2002 em uma madeireira do bairro Fragata. Ao ser conduzido à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) para prestar esclarecimentos, o homem confessou ter realizado três disparos. "Ele alegou que era depressivo e estava há alguns dias sem dormir e que os vizinhos estariam fazendo barulho. Por essa motivação fútil ele alegou ter realizado os disparos", explicou o delegado.

Diante dos fatos o homem de 60 anos foi encaminhado ao plantão, onde a autoridade policial determinou a prisão em flagrante. O acusado pagou a fiança de cinco salários mínimos e responderá ao processo em liberdade. O crime de posse irregular de arma de fogo tem pena de detenção prevista entre um e três anos.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados