Investigação

1ª DP prende cinco pessoas por Golpe do Bilhete em Pelotas

Na ação, uma das golpistas tentou engolir o falso bilhete

01 de Dezembro de 2021 - 09h21 Corrigir A + A -
 Foram apreendidos dinheiro, cartões, celulares, documentos, dois automóveis e um bilhete de loteria que era apresentado às vítimas. (Foto: Divulgação - DP)

Foram apreendidos dinheiro, cartões, celulares, documentos, dois automóveis e um bilhete de loteria que era apresentado às vítimas. (Foto: Divulgação - DP)

A Polícia Civil, a partir de trabalho conduzido pelo Setor de Investigação da 1ª DP de Pelotas, conseguiu frustrar a ação de uma organização criminosa que atua em diversas cidades aplicando o golpe do bilhete premiado. O trabalho contou com apoio de policiais da Delegacia de Canguçu. Na ação, uma das golpistas tentou engolir o falso bilhete.

De acordo com o delegado Gustavo Pereira, titular da 1ª Delegacia de Polícia Distrital de Pelotas e que esteve à frente do trabalho de investigação, uma vítima foi deixada em casa pelos estelionatários, mas foi alertada pela filha de que se tratava de um golpe. "A atitude da jovem foi fundamental para toda a ação. Ela conduziu a mãe até o banco para que fossem bloqueados todos os cartões e, depois disso, dirigiram-se à Delegacia. Aos nossos policiais a vítima narrou as caracteristicas dos suspeitos e de um dos veículos usados no golpe. Foi assim que obtivemos êxito em abordá-los em um restaurante na BR-392", destacou o Delegado.

Com os cinco estelionatários - três homens e duas mulheres - foram apreendidos dinheiro, cartões, celulares, documentos, dois automóveis e um bilhete de loteria que era apresentado às vítimas. "Uma das golpistas tentou engolir o bilhete quando foi revistada pelas policiais, mas nossas agentes impediram a ação, trazendo mais um elemento de prova aos autos do Inquérito Policial", afirmou Pereira.

O golpe

O golpe do Bilhete Premiado utiliza sempre a mesma estratégia. Uma golpista aborda a vítima pedindo informações e, em seguida, apresenta um bilhete dizendo que precisa entregá-lo a uma pessoa para quitar uma dívida. Logo um outro estelionatário, bem vestido, se apresenta e pesquisa sobre o suposto prêmio do qual aquele bilhete teria sido vencedor na loteria. A partir daí a vítima é envolvida em uma trama, entregando dados pessoais e cartões de banco com a promessa falsa de ganhar parte dos lucros da divisão do prêmio falso.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados