Agricultura

Distribuição de sementes começa em julho

Comunidades quilombolas e indígenas vão receber 30 mil quilos de milho e feijão

04 de Junho de 2021 - 18h42 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Medida vai beneficiar cerca de 3,8 mil famílias em 49 municípios (Foto: Divulgação - DP)

Medida vai beneficiar cerca de 3,8 mil famílias em 49 municípios (Foto: Divulgação - DP)

Trinta mil quilos de sementes de milho e feijão serão distribuídas para todo o Rio Grande do Sul a comunidades indígenas e quilombolas. Servidores do Departamento de Desenvolvimento Agrário, Pesqueiro, Aquícola, Indígenas e Quilombolas (DDAPA) da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) estão no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, fazendo a separação destas sementes para envio para os escritórios municipais da Emater/Ascar no Estado. Um trabalho que começou em maio e deve ir até meados de julho.

“É a primeira vez que o Departamento faz diretamente este trabalho, contando com o apoio fundamental da Emater/Ascar na ponta para fazer a distribuição das sementes e o acompanhamento técnico deste plantio junto às comunidades”, destaca Marlon Arenhardt, analista agropecuário e florestal do DDAPA.

Para o plantio

São 3.812 famílias, entre indígenas e quilombolas, em 49 municípios, que vão receber estas sementes entre julho e agosto, antes do início do plantio. Em algumas comunidades, a Emater/Ascar já recebeu as sementes para a distribuição no próximo mês, como as aldeias indígenas de Porto Alegre, índios e quilombolas de Cachoeira do Sul e Caçapava do Sul, quilombolas de Encruzilhada do Sul, Rio Pardo, Vale Verde, Piratini, Rosário do Sul, Santana do Livramento e Alegrete.

Os recursos investidos foram de R$ 258.013,14, do orçamento do Estado, e a compra foi feita através de licitação. “As sementes de milho e feijão têm um forte componente de segurança alimentar e nutricional para estas comunidades, que fazem este cultivo em pequenas áreas e dali tiram parte do seu sustento”, destaca Maurício Neuhaus, diretor do DDAPA da Secretaria da Agricultura.

Atualmente, existem no Rio Grande do Sul 126 aldeias indígenas em 57 municípios e 126 comunidades quilombolas rurais com cerca de quatro mil famílias, localizadas principalmente na Zona Sul do Estado.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados