Ausências

Véspera de votação extraordinária tem sessão relâmpago na Câmara de Pelotas

Dos 11 vereadores que deveriam comparecer à reunião representativa, apenas quatro registraram presença

28 de Janeiro de 2020 - 13h11 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Legislativo vota mudanças no Prevpel em sessão extraordinária nesta quarta (Foto: Divulgação - DP)

Legislativo vota mudanças no Prevpel em sessão extraordinária nesta quarta (Foto: Divulgação - DP)

Na véspera da sessão extraordinária que prevê a votação de alterações na alíquota do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais de Pelotas (Prevpel), a reunião representativa da Câmara de Vereadores desta terça (28) surpreendeu. Ao invés de discursos em defesa ou contra os projetos do governo, os trabalhos em plenário sequer foram realizados. O motivo: falta de quórum.

Marcada para as 9h, a sessão foi aberta com cinco minutos de atraso. Mesmo assim, dos 11 parlamentares que deveriam participar - no mínimo um integrante de cada bancada -, somente quatro registraram presença: Marcos Ferreira (PT), Roger Ney (PP), Dila Bandeira (PSDB) e Fernanda Miranda (PSOL).

Sem quórum mínimo para dar andamento na discussão da pauta do dia, Ferreira, vice-presidente, somente registrou as presenças no plenário. Entre a abertura e o fim da sessão foram apenas dois minutos.

Pouco depois do encerramento, chegaram ao plenário os vereadores Éder Blank (PDT) e Zilda Bürkle (PSB). A vereadora reclamou do fim da sessão e disse que era uma vergonha o vice-presidente não aguardar a formação de quórum. Ela justificou o atraso por ser moradora da zona rural. “Vergonha é chegar atrasada e querer dar discurso”, rebateu Ferreira, que alegou o cumprimento do regimento interno, que exige mínimo de cinco parlamentares no horário de início da sessão representativa para que seja iniciada.

Votações extraordinárias

Estão confirmadas para esta quarta (29) as discussões sobre três projetos enviados pela prefeita Paula Mascarenhas para votação em sessôes extraordinárias. Os textos preveem o aumento de 11% para 14% da alíquota de contribuição ao Prevpel, o parcelamento de dívida de R$ 8,3 milhões do Executivo com o instituto e o pagamento de gratificação a professores de alunos com deficiência, além da criação de gratificação à direção do Centro de Atendimento ao Autista.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados