Relação complicada

Vereadora acusa secretário de machismo e favorecimento a governistas

Em manifestação na Câmara, Daiane Dias afirmou que responsável pelo setor de Transportes e Trânsito a desrespeitou; gestor nega episódio

27 de Novembro de 2019 - 15h30 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Daiane Dias 271119 - Lenise Slawski

Daiane Dias diz ter sido vítima de discriminação e apontou favorecimento a demandas de parlamentares mais próximos ao governo (Foto: Lenise Slawski - Câmara de Vereadores)

Um discurso da vereadora Daiane Dias (PSB) na manhã desta quarta (27) causou a suspensão da sessão e protestos contra secretários do governo Paula Mascarenhas (PSDB). A parlamentar acusou Flávio Al Alam, responsável pela pasta de Transportes e Trânsito (SMTT), de desrespeitá-la durante reunião para tratar de obras em vias dos bairros.

O episódio teria ocorrido na tarde de terça (26), no gabinete do secretário. De acordo com Daiane, ao ouvir uma série de pedidos de providência para manutenção de faixas de segurança e nova solicitação de construção de rotatória no cruzamento das ruas Gomes Carneiro e Giuseppe Garibaldi - cobrada desde o fim de 2018 por moradores da localidade -, Al Alam teria adotado tom agressivo nas respostas.

"Ele bateu na mesa e gritou: 'eu não tenho dinheiro, o que vocês querem que em faça?' Tentei entender o que estava acontecendo. Estava lá não por mim, mas pedindo aquilo que as pessoas cobram", relata a vereadora. Integrante da base do governo, Daiane reclama da falta de atenção a pequenas intervenções solicitadas por ela desde 2017, enquanto outros vereadores mais próximos à prefeita e secretários teriam pedidos semelhantes atendidos em poucos dias.

"Cansa de ver a diferença que se trata um vereador e outro. O secretário não faria o que fez se fosse um homem, um vereador. Ele não bateria na mesa", protestou a parlamentar, que retirou-se da tribuna chorando.

Pauta suspensa

Outros parlamentares prestaram apoio à manifestação de Daiane Dias e cobraram posicionamento da Mesa Diretora da Câmara. Houve menção a episódio ocorrido no começo de novembro em que o secretário de Assistência Social, Luiz Eduardo Longaray, em mensagem na Internet referiu-se ao Legislativo como "lixo".

Waldomiro Lima (PRB) sugeriu o trancamento da pauta de votações até que Al Alam e Longaray fossem à Câmara dar explicações sobre os episódios e se retratarem. "É toda hora com um, com outro. Se a Mesa não vai fazer nada, deixe que nós assumimos (a direção da Câmara)", cobrou Ademar Ornel (DEM). Fernanda Miranda (PSOL), Marcus Cunha (PDT) e Marcos Ferreira (PT) também pediram uma posição oficial do Legislativo.

Logo após o episódio, o presidente Fabrício Tavares (PSD) interrompeu a sessão e reuniu-se a portas fechadas com todos os vereadores durante 50 minutos. Ao retornar, suspendeu os trabalhos e disse que haverá uma reunião nesta quinta (28) pela manhã entre parlamentares e a prefeita Paula Mascarenhas para tratar de ambos os casos envolvendo os secretários.

O que diz Al Alam

Luiz Eduardo Longaray e Flavio Al Alam 261119 - Michel Corvello AscomO titular da SMTT nega que tenha desrespeitado a vereadora Daiane Dias. Segundo Flavio Al Alam (foto, à dir.), durante a reunião foram analisados ponto a ponto os pedidos da parlamentar, sendo que dois deles teriam sido atendidos na manhã desta quinta.

"Me surpreendi com a manifestação da vereadora de que tratei ela mal. Estou há dez anos prestando serviço na SMTT e nunca tive problemas com nenhuma vereadora ou vereador, a não ser em questões de que às vezes não conseguimos atender alguma demanda. Mas sempre recebendo todos que solicitam", argumenta Al Alam.

Sobre uma possível convocação para que vá ao Legislativo apresentar sua posição sobre o episódio, o secretário afirma que está à disposição para esclarecimentos.

A reportagem tentou ouvir Luiz Eduardo Longaray (foto, à esq.) para que comentasse as críticas dos vereadores à sua declaração sobre a Câmara, mas seu celular permaneceu desligado até a publicação deste texto. De acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura, o secretário de Assistência Social não foi localizado.

 

Propriedade intelectual do Jornal Diário Popular

Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados