Estilo Pet

Uma oportunidade deles recomeçarem

Evento realizado no domingo permitiu que 23 cães iniciem vida nova em lares definitivos

15 de Julho de 2019 - 09h06 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Nas ruas, além da fome, sede e dos maus tratos a que muitos são submetidos, o frio se torna mais um desafio à sobrevivência dos animais. Para muitos cachorros, no entanto, esta segunda (15) está sendo o começo de nova oportunidade. Organizada pela ONG SOS Animais, a feira de adoção realizada na tarde de domingo (14) na Associação Rural de Pelotas promoveu dezenas de encontros entre estes pets e quem buscava um companheiro.

Em pouco mais de duas horas de evento, foram 23 adoções de cães. Desde filhotes, com poucos dias de vida, até adultos resgatados das ruas ou de locais em que viviam em condições precárias. Todos eles levados por pessoas que dedicam parte de seu tempo e do espaço disponível em suas casas para proteger os animais e encaminhá-los a um lar definitivo.

Neiva Monteiro, 66, é um destes exemplos. Sempre que encontra um animal abandonado, a produtora rural leva para casa, alimenta, trata da saúde e, quando há uma família disposta a dar carinho, faz a doação. "É assim há mais de 20 anos. Não tenho ideia de quantos já foram adotados, mas são muitos. O mais importante é que os bichos cheguem a uma casa em que recebam amor e respeito", diz. Só ela levou ao evento de ontem oito adultos e seis filhotes.

Enquanto Neiva conversava com a reportagem, dois de seus pets conquistavam a assessora parlamentar Aline Ribeiro, 34. Convencida pelos filhos Gabriel, 8, e Guilherme, 13, resolveu dar vida ao pátio da casa. "Eles são apaixonados por cachorro e nunca pudemos ter porque morávamos em apartamento. Agora cada um escolheu um e vamos levar para a casa."

Responsabilidade

Secretária da SOS Animais, Paula Ferro conta que exposições de animais são organizadas desde 2009. "Somos intermediários. Há várias pessoas protetoras, que cuidam dos cães e gatos e usam estes eventos, feitos em média a cada três meses, para facilitar a adoção." A ONG não tem o número exato de animais direcionados a lares nestes dez anos de atividade, mas afirma que pelo menos algumas centenas passaram a ter uma vida digna.

Cada pessoa que adota um pet precisa apresentar documento de identidade, comprovante de residência e assinar termo de responsabilidade em que assume o compromisso de cuidar bem do novo parceiro. Todos os cães e gatos já vão para a nova casa desverminados e vacinados.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados