Comando

Roberto Barbuti é o novo diretor-presidente da Corsan

Na primeira reunião com o governador, o novo gestor já elencou prioridades, como redução de perdas e de custos, tornar as obras mais eficientes e ágeis

11 de Abril de 2019 - 14h30 Corrigir A + A -
Governador Eduardo Leite e o secretário Artur Lemos com o novo diretor-presidente da Corsan, Roberto Barbuti (Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini)

Governador Eduardo Leite e o secretário Artur Lemos com o novo diretor-presidente da Corsan, Roberto Barbuti (Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini)

Convidado pelo governador Eduardo Leite e pelo secretário do Meio Ambiente e Infraestrutura, Artur Lemos Júnior, Roberto Barbuti é o novo diretor-presidente da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan). O anúncio foi feito nesta quinta-feira (11).

Bacharel em Administração Pública e em Direito, Barbuti acumula quase 30 anos de experiência em bancos nacionais e internacionais e em consultorias. Pela primeira vez, aceitou assumir um cargo público. “É um grande desafio, mas me considero preparado para contribuir com a empresa e, consequentemente, com o governo do Estado”, afirmou Barbuti.

Na primeira reunião com o governador, o novo gestor já elencou prioridades, como redução de perdas e de custos, tornar as obras mais eficientes e ágeis, além de avançar na regulação dos serviços.

Responsável por 5,9 mil funcionários e pelo abastecimento de água tratada para 6 milhões de pessoas em 317 municípios gaúchos, a Corsan tem como principal desafio ampliar o índice de atendimento com serviço de esgoto, atualmente em 14,9%.

“O saneamento é dos aspectos fundamentais para o nosso governo. O serviço de coleta e tratamento de esgoto não condiz com o desenvolvimento do estado. Por isso, a Corsan é uma autarquia muito importante e terá atenção total durante os próximos quatro anos”, ressaltou o governador.

Nesse sentido, Leite confirmou que a companhia será incluída no RS Parcerias, buscando parcerias com o setor privado para realizar obras de ampliação do abastecimento de água e do saneamento, no que teve o apoio do novo diretor-presidente da Corsan.

“Não podemos mais aceitar que uma obra demore mais de 10 anos para ser concluída, como aconteceu com a ETA recém inaugurada em Santa Rosa. As PPPs (parcerias público-privadas) podem dar celeridade aos investimentos e melhorar o serviço mais rapidamente à população, porque não enfrentam a burocracia e a lentidão do poder público”, afirmou Leite.

Trajetória
Nascido em São Paulo (SP), Roberto Barbuti formou-se em Administração Pública pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo (FGV), em 1989, e em Direito pela Universidade de São Paulo (USP), em 1991. Também tem MBA concentrado em Finanças e Empreendedorismo pelo Instituto Europeu de Administração de Empresas, o Insead, em Fontainebleau, na França.

Barbuti desenvolveu sua carreira profissional em São Paulo, começando como analista de negócios na consultoria de gerenciamento McKinsey & Company. Mais tarde, passou por diferentes funções em bancos como Safra, Bank of America Merrill Lynch, Santander, UBS Investment Bank/UBS Pactual e Patrimônio. Nesse meio tempo, também atuou na International Ventures Participações (IVP).

Antes de aceitar assumir a Corsan, estava atuando como consultor sênior especializado em estratégias de finanças corporativas e em oportunidades relacionadas a processos judiciais.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados