Impasse

PTB pode ficar sem bancada na Câmara de Pelotas

Determinação nacional estabelece alinhamento ao Governo Bolsonaro e oposição às gestões de Eduardo e Paula

09 de Setembro de 2021 - 08h31 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Líder do governo na Câmara, Marcola afirma: \

Líder do governo na Câmara, Marcola afirma: \"Não irei participar de nenhum processo que venha de cima pra baixo\" (Foto: Divulgação - DP)

Anderson Garcia afirmou: \

Anderson Garcia afirmou: \"Eu vou seguir o meu ex-presidente Agostinho\" (Foto: Divulgação - DP)

Barriga também sustentou, por mais de uma vez: \

Barriga também sustentou, por mais de uma vez: \"Sou Agostinho Futebol Clube\" (Foto: Divulgação - DP)

Uma queda de braço ganha força nos últimos dias e deve resultar na diluição da bancada do PTB, que é a segunda maior na Câmara de Pelotas, com três vereadores. O novo presidente do diretório municipal, Jairo Islabão, segue à risca o novo estatuto do partido - registrado em 21 de março - e é taxativo: o PTB deve estar alinhado ao Governo Bolsonaro. "É inegociável. Quem não se interessar em seguir o que diz o estatuto, conservador cristão, não pode estar conosco".

A decisão cria uma ruptura, já que os três vereadores sustentam que irão permanecer na base do governo da prefeita Paula Mascarenhas (PSDB). E nesta quarta-feira (8), ao conversar com o Diário Popular durante 21 minutos, Islabão falou claramente sobre Pelotas ser estratégica no Rio Grande do Sul, pelo fato de ser cidade natal do governador Eduardo Leite (PSDB), opositor do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson. "E eu fui convidado especialmente pra esta missão. E pra mim, missão dada é missão cumprida".

Jairo Islabão também destacou as "ideais diferentes" defendidas pelo PTB e pelos governos de Eduardo e de Paula. "Não podemos compactuar com as ideias do governador e da prefeita". E enfatiza: "Eu sou leal, eu sou fiel. Tanto ao estatuto e ao partido, quanto ao Roberto Jefferson e ao presidente da República".

Juiz eleitoral será procurado

O novo presidente do diretório municipal tentará agenda com o juiz eleitoral para debater a situação dos três vereadores. Islabão confirmou que não deve requerer o mandato de Marcos Ferreira, o Marcola, de Anderson Garcia e de Rafael Dutra, o Barriga, caso os parlamentares decidissem mudar de partido. "Eu, presidente do PTB, não quero fazer isso". E explicou por que: "Em respeito ao voto do povo e o povo elegeu eles vereadores".

Islabão também afirmou ainda não ter conseguido contato para agendar encontro com os parlamentares. "Não fui atendido por ninguém. Então eu vou adotar outro procedimento pra marcar esta reunião". Ao mesmo tempo assegurou que "vai ser um papo tranquilo".

O que dizem os vereadores

- Marcos Ferreira: Líder do governo na Câmara, Marcola fez questão de lembrar que o convite para ser porta-voz do Executivo entre os parlamentares ocorreu de forma pessoal, individual, e não porque está vinculado necessariamente ao PTB. "Irei cumprir o compromisso que assumi. Irei manter a postura de aliado do projeto da prefeita Paula", lembrou. E deixou o recado: "Não irei participar de nenhuma imposição, de nenhum processo que venha de cima para baixo".

- Anderson Garcia: O vereador foi direto ao ponto: irá manter a parceria sólida que possui com o ex-presidente do diretório municipal do PTB, Agostinho Neto, e com o deputado federal Maurício Dziedricki, que deverá migrar para o Podemos. Anderson Garcia também admitiu: "Te confesso que o que acontece em nível federal... Eles não me perguntam nada. Então, não tô nem aí pra eles". E reforçou: "Eu vou seguir o meu ex-presidente Agostinho". E não negou: "Uma expulsão seria bem-vinda".

- Rafael Dutra: Barriga também garantiu que irá continuar na base do governo e, inclusive, admitiu que, em caso de expulsão, o PSDB desponta como o partido mais cotado para filiação. "Mas tenho convite de um cinco". O vereador falou abertamente sobre o desejo de não estar no PTB: "Só não peço pra sair, pra não perder o mandato. Se me expulsassem amanhã seria bom, pra eu já poder me arrancar". Por mais de uma vez, lembrou: "Sou Agostinho Futebol Clube".

Entenda melhor

Declarações de Roberto Jefferson, que tiveram o governador gaúcho como um dos principais alvos, ajudaram a provocar uma debandada do PTB em 2021. Além do vice-governador Ranolfo Vieira Jr, em Pelotas, o vice-prefeito Idemar Barz - reeleito pelo PTB - também deixou a sigla. Barz passou a engrossar o time tucano.

Saiba mais 

O presidente do diretório Jairo Islabão é militar da Reserva e filiou-se ao PTB em maio deste ano. Antes, havia tido uma única filiação partidária: ao PSL. Islabão deixou o Partido Social Liberal na carona da decisão do presidente Jair Bolsonaro em desfiliar-se, em novembro de 2019.

 

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados