Região

Projeto que inclui o pêssego na merenda da rede estadual é aprovado

Também nesta terça, Assembleia Legislativa aprovou PL que proíbe a cobrança por emissão de carnês e boletos bancários

08 de Outubro de 2019 - 22h22 Corrigir A + A -
Proposta da inclusão do pêssego é de autoria do deputado Viana (Foto: Celso Bender - Agência ALRS)

Proposta da inclusão do pêssego é de autoria do deputado Viana (Foto: Celso Bender - Agência ALRS)

A Assembleia Legislativa aprovou nesta terça-feira (8) o projeto de lei que inclui o pêssego e seus derivados no cardápio da merenda escolar da rede pública estadual de ensino. A proposta é de autoria do deputado pelotense Luiz Henrique Viana (PSDB). "A escola tem grande importância na formação dos hábitos alimentares dos estudantes. Com a inclusão do pêssego, o Estado tem a oportunidade de melhorar a alimentação dos alunos com uma fruta tradicional para os gaúchos e ainda fortalecer uma cadeia produtiva expressiva", destacou Viana.

Com baixo teor calórico, o pêssego é rico em fibras e contém minerais, carboidratos, proteínas e vitaminas. Aliado a uma alimentação balanceada, pode ainda contribuir para uma saúde equilibrada.

Com a inclusão da fruta na merenda, a projeção do Sindicato da Indústria de Doces e Conservas Alimentícias de Pelotas (Sindocopel) é de um aumento de 7% em produção e geração de empregos, além do consequente incremento financeiro. De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a produção anual na região de Pelotas compreende cerca de 60 mil toneladas de pêssego, sendo que 50 mil toneladas são usadas pela indústria.

Segundo a Embrapa, o Rio Grande do Sul lidera a produção da fruta no país, com uma área de 13 mil hectares de pomares. Os gaúchos têm a maior representação do mercado nacional, com 40% do total. O Estado conta ainda com a maior concentração de área plantada, distribuída em duas regiões: Zona Sul (pêssego para indústria) e Serra (para consumo fresco). Mas o principal polo está localizado no Sul gaúcho, numa área que compreende 13 municípios, com destaque para Pelotas, Canguçu, Piratini e Morro Redondo.

Assembleia aprova o fim da famosa taxa dos boletos
O Projeto de Lei (166/2011) de autoria do deputado Pedro Pereira (PSDB), que proíbe a cobrança por emissão de carnês e boletos bancários, foi aprovado na Sessão Plenária da Assembleia Legislativa, desta terça. Pereira defendeu a matéria e lembrou que em outros estados, como por exemplo, em São Paulo e no Paraná, a famosa taxa dos boletos já não é praticada há anos.

A proposição foi aprovada com uma emenda do deputado Tenente-Coronel Zucco (PSL), relator da proposta na Comissão e Constituição e Justiça (CCJ). Com isso, as empresas fornecedoras de produtos ou serviços do Rio Grande do Sul, não poderão cobrar qualquer valor pela emissão de carnês e boletos bancários. A proposta deve ser encaminhada para sanção do governador Eduardo Leite.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados