Números

Popularidade em baixa

Pesquisa CNT/MDA revela que o nível de desaprovação de Jair Bolsonaro supera os 50%

13 de Maio de 2020 - 08h49 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

O estudo foi realizado entre os dias 7 a 10 de maio em 494 municípios (Foto: Isac Nóbrega - Presidência da República)

O estudo foi realizado entre os dias 7 a 10 de maio em 494 municípios (Foto: Isac Nóbrega - Presidência da República)

A Confederação Nacional do Transporte divulgou nesta terça-feira (12) os resultados da nova Pesquisa CNT de Opinião. Realizado em parceria com o Instituto MDA, o levantamento mostra os índices de popularidade do governo e pessoal do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e traz a percepção dos brasileiros sobre a atuação dos governos federal e estaduais no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

Conforme o estudo, a desaprovação pessoal de Jair Bolsonaro chegou a 55.4%. A análise negativa do desempenho do presidente também foi superior, com 43,4% de ruim e péssimo, frente aos 32% que consideram ótimo ou bom.

A Pesquisa CNT de Opinião também abordou questões relacionadas à expectativa para os próximos seis meses, ao isolamento social, à realização das eleições municipais, à saída do ex-ministro Sério Moro e às recentes manifestações contra o Congresso Nacional e o STF (Supremo Tribunal Federal).

Foram feitas 2.002 entrevistas por telefone, com respondentes de 494 municípios de 25 Unidades da Federação. A 146ª Pesquisa CNT de Opinião foi aplicada entre os dias 7 a 10 de maio. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Avaliação de governo Bolsonaro

Avaliação positiva (ótimo + bom): 32,0%
Avaliação regular: 22,9%
Avaliação negativa (ruim + péssimo): 43,4%
Não souberam opinar ou não responderam: 1,7%

Desempenho pessoal do presidente

Aprovação: 39,2%
Desaprovação: 55,4%
Não souberam opinar ou não responderam: 5,4%

Avaliação do governador

Ótimo: 10,0%,
Bom: 31,3%,
Regular: 32,7%,
Ruim: 8,8%,
Péssimo: 15,9%

Avaliação do prefeito

Ótimo: 13,0%,
Bom: 27,1%,
Regular: 29,7%,
Ruim: 9,0%
Péssimo: 18,7%

Expectativa (para os próximos 6 meses)

Emprego:

vai melhorar: 15,1%,
vai piorar: 68,1%,
vai ficar igual: 14,4%

Renda mensal:

vai aumentar: 8,8%,
vai diminuir: 46,7%,
vai ficar igual: 41,6%

Saúde:

vai melhorar: 23,3%,
vai piorar: 52,3%,
vai ficar igual: 22,7%

Educação:

vai melhorar: 14,1%,
vai piorar: 47,4%,
vai ficar igual: 36,5%

Segurança pública:

vai melhorar: 18,5%,
vai piorar: 34,9%,
vai ficar igual: 44,1%

Pandemia de Covid-19 (Coronavírus)

Atuação dos governos federal e estaduais

51,7% dos entrevistados aprovam a atuação do governo federal no combate à pandemia de Covid-19 (coronavírus), enquanto 42,3% desaprovam.

69,2% dos entrevistados aprovam a atuação do governo estadual no combate à pandemia de Covid-19 (coronavírus), enquanto 26,8% desaprovam.

Isolamento social

Sobre o isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus, 67,3% dos brasileiros consideram que deve ser praticado por todos, independentemente de ser ou não do grupo de risco. Para 29,3%, só deve ser praticado pelas pessoas que fazem parte do grupo de risco; e 2,6% acreditam que não deveria existir isolamento social.

Confiança na imprensa

Em relação ao grau de confiança nas informações divulgadas pela imprensa sobre a pandemia do novo coronavírus, 24,3% afirmam confiar muito; 48,5% confiam pouco; e 25,2% não confiam.

Endividamento

37,7% dos brasileiros declaram que deixaram de pagar alguma dívida em função das consequências da pandemia. Já 61,9% não deixaram de pagar alguma dívida por conta da crise.

Política

Eleições municipais

62,5% dos entrevistados consideram que as eleições municipais (prefeito e vereadores) devem ser adiadas devido ao impacto da crise da Covid-19; e 30,4% acham que devem mantidas para a(s) data(s) prevista(s), apesar dos impactos da crise da Covid-19.

Saída do ex-ministro Sério Moro

2% avaliam que, com a saída do ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, o combate à corrupção no Brasil vai melhorar; 39,9% acham que vai continuar como está e 39,7% consideram que vai piorar.

Manifestações contra o Congresso Nacional e o STF

51,8% são contrários às recentes manifestações contra o Congresso Nacional e contra o STF (Supremo Tribunal Federal); 28,8% são a favor e 10,8% não são nem a favor nem contra.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados