Impasse

Pedido de vista frustra Palácio Piratini

Oposição pediu para analisar ofício encaminhado pelo governador solicitando a realização de plebiscito sobre estatais

15 de Maio de 2018 - 19h32 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Deputado Nelsinho Metalúrgico pediu vistas e disse que não há mais prazo para o plebiscito (Foto: Marcelo Bertani - Agência AL)

Deputado Nelsinho Metalúrgico pediu vistas e disse que não há mais prazo para o plebiscito (Foto: Marcelo Bertani - Agência AL)

A oposição ao governo na Assembleia Legislativa conseguiu adiar mais uma vez a tramitação do Projeto de Lei que reduz de cinco para três meses o prazo para convocação de plebiscito de privatização de estatais. Em reunião de líderes no final da manhã desta terça-feira (15), um pedido de vista frustrou os planos do Palácio Piratini de que finalmente a proposta fosse analisada pelos parlamentares.

O deputado Nelsinho Metalúrgico (PT) pediu para examinar o ofício enviado por José Ivo Sartori (MDB) ao parlamento pedindo a convocação da consulta. O objetivo do PL apresentado pelo governador é consultar a população junto à eleição de outubro sobre a venda da CEEE, Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e a Companhia de Gás do RS (Sulgás).

Com o pedido de vista, a definição se o tema entrará ou não na pauta de votação da Assembleia fica adiada em mais uma semana, podendo ocorrer só na próxima terça (22) em reunião de líderes. Se o pedido do governador for aprovado, além de analisar a autorização para adiantar o plebiscito, a Assembleia terá ainda que formular através da presidência e votar um Projeto de Decreto Legislativo (PDL) convocando o plebiscito.

O deputado Nelsinho Metalúrgico disse que o pedido de vista ocorreu porque não há mais prazo para realização do plebiscito. "A solicitação do governador deveria ter chegado em fevereiro ou março, a tempo da mesa diretora fazer o PDL e colocar em votação. Esse prazo venceu", justificou.

Líder do governo, Gabriel Souza (MDB) lamentou o adiamento da decisão. Segundo ele, há três anos o Palácio Piratini tenta realizar o plebiscito e é impedido por manobras da oposição.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados