Eleição 2020

Oposição busca consenso para promover primárias

Presidente do PT tenta convencer grupo de cinco partidos de esquerda a promover eleição prévia em Pelotas para escolha do candidato à prefeitura

30 de Outubro de 2019 - 21h01 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Marcus Cunha e Ivan Duarte - Volmer Perez

PDT e PT têm definidos seus pré-candidatos, enquanto outras siglas ainda avaliam possíveis nomes (Fotos: Volmer Perez - Câmara de Vereadores)

Se depender da direção do Partido dos Trabalhadores, a definição do candidato do grupo de oposição ao governo Paula Mascarenhas (PSDB) para a disputa da prefeitura de Pelotas em 2020 será feita através de eleição primária. Com molde semelhante ao que ocorre em processos como o argentino ou o estadunidense, a intenção é que cinco siglas de esquerda que têm se reunido indiquem seus pré-candidatos e os nomes sejam levados a consulta pública. O mais votado passaria a liderar a chapa formada pelos partidos.

A proposta, idealizada por Luciano Lima, presidente do PT, foi apresentada no começo da semana a integrantes do diretório petista e dirigentes das outras quatro agremiações: PDT, PSOL, PCdoB e PRC. Segundo ele, as primárias não ficariam restritas a filiados dos partidos. " É uma consulta aberta ao conjunto da população para referendar os pontos centrais e diretrizes de um programa político e definir as candidaturas para prefeito e vice", projeta.

Caso se confirme acordo entre as siglas e a consulta prévia seja realizada, seria a forma encontrada pelo grupo de evitar a divisão no primeiro turno eleitoral no ano que vem, com lançamento de concorrentes isolados. Pré-candidato petista, o vereador Ivan Duarte é otimista em relação às primárias. "Acho muito bom. Abre espaço para participação de pessoas de fora dos partidos no debate sobre a cidade e tende a sair desse processo uma escolha mais acertada do ponto de vista eleitoral", avalia. Questionado se o PT abriria mão da cabeça de chapa - algo incomum - caso o pré-candidato de outra sigla fosse o preferido, disse que todas as legendas precisam de "humildade e unidade" desde o primeiro turno.

PDT diz não ter pressa

Também com pré-candidato a prefeito definido, o PDT é reticente com relação às primárias. Embora não rejeite a ideia, atribui a proposta a uma "agenda interna" petista. "Primeiro precisamos saber se teremos condições de construir um programa conjunto para a cidade. Nosso foco tem sido esse. Ainda não discutirmos dentro do PDT essa ideia de prévias e acredito que não seja agora o momento para isso", argumenta o vereador Marcus Cunha, presidente e pré-candidato trabalhista.

Já a presidente do PSOL pelotense diz ver com bons olhos a realização de primárias. Ao contrário de eleições anteriores, em que os socialistas repudiavam alianças com outras siglas, para 2020 a ideia é aceita. O partido encabeça movimento em Porto Alegre para a criação de uma frente de esquerda que tenta ser replicada em Pelotas. "Um dos critérios para que isso de fato ocorra é que haja esta prévia. Isso será discutido em reunião do diretório na semana que vem. O certo é que teremos nomes do partido para o ano que vem, seja para primárias ou direto para a eleição", afirma Roberta Mello.

Posição semelhante à do PCdoB que, de acordo com o presidente Fernando Rosário, irá conversar sobre o assunto na próxima reunião. "Particularmente vejo com bons olhos essa ideia. Pode ser o diferencial para a construção de uma unidade ampla que faça frente ao governo Paula em Pelotas", comenta.

O presidente do PRC, João Bourscheid, não foi localizado para comentar a proposta.

Propriedade intelectual do Jornal Diário Popular

Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados