Trabalho

Municipários de Pelotas encerram greve

Decisão dos trabalhadores em assembleia na manhã desta quinta estabeleceu trégua à espera da quitação da folha; juiz deu prazo até esta sexta para prefeitura pagar salários ou indicar contas para bloqueio

17 de Outubro de 2019 - 11h46 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

* Atualizada às 18h00min para acréscimo de informações

JF5371

Sindicato manteve estado de assembleia e deve reavaliar a mobilização na próxima semana (Foto: Jô Folha - DP)

Os servidores municipais de Pelotas retornaram nesta quinta (17) à tarde ao trabalho após duas semanas de greve. Em assembleia no auditório externo do Colégio Municipal Pelotense, a categoria resolveu interromper o protesto pelo atraso de salários enquanto aguarda o fim do prazo de liminar judicial que obriga a prefeitura a quitar toda a folha.

Em novo despacho, o juiz Luís Antônio Saud Teles, da 6ª Vara Cível Especializada em Fazenda Pública, postergou a data limite para que seja feito o depósito da totalidade dos vencimentos. Com o anúncio da prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) de que trabalhadores com salários até R$ 2 mil e aposentados e pensionistas com direito a até R$ 3,3 mil receberão hoje, o magistrado adiou o bloqueio de contas do município. A ordem é para que até o meio-dia desta sexta (18) sejam informados o valor que restará em aberto na folha do funcionalismo e as contas do município a serem bloqueadas para o pagamento dos municipários.

De acordo com a Secretaria Municipal da Fazenda (SMF), após os depósitos previstos para sexta, faltarão nos cofres públicos R$ 9,5 milhões para pagamento de 18% dos servidores. Deste total, 59% (R$ 5,6 milhões) é destinado aos ativos. A prefeitura informou que os dados bancários exigidos pelo juiz Saud Teles serão repassados para que seja feita a seleção de qual conta será usada para os pagamentos de salários.

Assembleia permanente

A presidente do Sindicato dos Municipários (Simp), Tatiane Rodrigues, afirma que a categoria manterá o estado de assembleia permanente. Caso até segunda (21) não ocorra o pagamento da totalidade dos trabalhadores, uma nova convocação será feita para avaliar a retomada da paralisação. "Mostramos à comunidade pelotense que não aceitamos o raciocínio do governo, que nos vê como um gasto e um problema. Somos o problema que faz a máquina pública funcionar. Temos conseguido fazer com que o judiciário tenha a compreensão da necessidade do pagamento dos trabalhadores", diz.

Quem recebe sexta
- 3.393 servidores com salários até R$ 2 mil
- 537 aposentados e pensionistas com vencimentos até R$ 3,3 mil

Quem continua sem salário
- 1.500 servidores com vencimentos superiores a R$ 2 mil
- 580 aposentados e pensionistas com vencimentos superiores a R$ 3,3 mil

A projeção do governo é que o pagamento a estas faixas ocorra até 21 de novembro

 

* Na publicação original desta matéria, foi apontado como prazo final para que a prefeitura informe contas para bloqueio as 12h de segunda (21). A data limite correta é sexta (18). A informação foi corrigida no texto.

Propriedade intelectual do Jornal Diário Popular

Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados