Eleição 2020

Marroni desiste de disputa interna no PT

Deputado estadual e ex-prefeito de Pelotas diz lamentar decisão do partido de não realizar prévias para indicação à chapa majoritária

03 de Junho de 2020 - 18h17 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Marroni seguirá na Assembleia Legislativa (Foto: PTSul - Divulgação)

Marroni seguirá na Assembleia Legislativa (Foto: PTSul - Divulgação)

Após trabalhar nos bastidores para tentar viabilizar seu nome dentro do PT para a chapa à prefeitura de Pelotas, o deputado estadual Fernando Marroni decidiu nesta quarta-feira (3) desistir de concorrer internamente com o vereador Ivan Duarte pela indicação. O ex-prefeito atribuiu sua saída da disputa interna à opção do partido de não promover prévias entre os filiados para a definição da candidatura.

Com minoria dentro da sigla, há um mês apoiadores de Marroni ensaiaram um movimento de retomada da pré-candidatura depois que Duarte cogitou sair da disputa. No entanto, com a confirmação do vereador de que buscará a formalização da indicação petista, o deputado recuou. O parlamentar lamentou por não ser considerado alternativa pelo partido e criticou a escolha da candidatura somente pelos integrantes do diretório, apontando o que considera interrupção do histórico partidário de consulta aos filiados.

“Refleti muito e identifiquei que não há condição política de trabalhar minha candidatura dentro do diretório. Gostaria muito de poder estar à disposição da cidade neste momento difícil e fazer isso na condição de prefeito, que é a figura com mais capacidade para ajudar a população”, disse Marroni.

Ruptura

Presidente do partido e com ampla base no diretório, Ivan Duarte chegou a dizer no final de abril que uma eventual saída sua da pré-candidatura e abertura de espaço a Marroni poderia significar "um desastre muito grande" ao partido, prejudicando o diálogo com outras siglas.

Nesta quarta, após a desistência do deputado de disputar a indicação, o ex-vereador e integrante do grupo que apoia Marroni no diretório petista criticou o partido. “O diretório hoje é um jogo de cartas marcadas, o que interrompeu uma tradição democrática de consulta aos filiados do PT, inclusive ansiada pela base. Foi negada a possibilidade de aferir, através de pesquisa de opinião, qual seria o candidato com melhor potencial eleitoral. É um cenário antidemocrático”, reclamou Milton Martins.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados