Com a base

Leite retoma articulação pelo pacote nesta quarta

Após retornar do recesso de final de ano, governador inicia reuniões com deputados aliados para definir estratégia para votações

07 de Janeiro de 2020 - 19h56 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Governador pretende convocar extraordinariamente a Assembleia para votar no final de janeiro (Foto: Itamar Aguiar - Palácio Piratini)

Governador pretende convocar extraordinariamente a Assembleia para votar no final de janeiro (Foto: Itamar Aguiar - Palácio Piratini)

Três semanas depois da votação do primeiro dos oito projetos que compõem o pacote de alterações nas carreiras e previdência do funcionalismo estadual, Eduardo Leite retoma nesta quarta (8) as articulações sobre o tema. De volta do recesso de final de ano, o governador terá reunião com deputados aliados para avaliar os impasses do final de 2019 e tentar definir o plano para que os temas sejam apreciados em plenário ainda no começo do novo ano legislativo.

O encontro entre Leite e líderes dos partidos alinhados ao Palácio Piratini foi articulado na semana passada pelo vice-governador, Ranolfo Vieira Júnior, e pelo líder do governo na Assembleia Legislativa, Frederico Antunes (PP). A ideia é aparar arestas para que os projetos sejam apreciados o quanto antes. Embora tenha considerado uma vitória a aprovação do Projeto de Lei Complementar que altera a previdência dos servidores civis (PLC 503), ficou clara a insatisfação do Executivo por não ter conseguido apoio da base para avançar nos demais temas.

Conforme Leite, o encontro desta quarta será uma oportunidade para tomar um chimarrão e "ouvir os deputados" sobre o pacote, passados 20 dias do período mais quente de discussões. A expectativa do governador é conseguir acordo que permita a convocação extraordinária do Legislativo entre os dias 28 e 30 de janeiro, uma semana antes do retorno oficial dos deputados ao trabalho.

Além da reunião com Leite, prevista para a manhã, os líderes das siglas devem discutir também entre si. Logo após ouvir e apresentarem suas impressões ao governador, os parlamentares têm compromisso marcado à tarde na Assembleia com Frederico Antunes em que poderão estabelecer consensos sobre quais propostas irão a plenário ainda em janeiro.

Privatização a partir de julho

Tema que centralizou as discussões no começo do governo Leite, a privatização de estatais deve ser iniciada no segundo semestre de 2020. A primeira companhia que deve ser negociada é a CEEE. De acordo com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Infraestrutura, o estudo da modelagem de negócio e o possível valor a ser arrecadado com a companhia foi concluído em dezembro.

Já as outras estatais a serem oferecidas, Sulgás e CRM, devem ficar para o ano que vem, já que os estudos estão atrasados. No caso da primeira, por conta de uma disputa entre concorrentes na licitação de consultoria externa contratada pelo BNDES. Já a empresa de mineração ainda é alvo de avaliação do governo quanto cenário do mercado de carvão.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados