Política

Governo prorroga ação na Amazônia Legal

Com o decreto, os trabalhos vão continuar por mais um mês, até o dia 24 de outubro.

22 de Setembro de 2019 - 16h10 Corrigir A + A -

Agência Brasil

Vice-presidente Hamilton Mourão diz que emprego das Forças Armadas custa R$1,5 milhão ao dia (Foto: Valter Campanato - Agência Brasil - Especial DP)

Vice-presidente Hamilton Mourão diz que emprego das Forças Armadas custa R$1,5 milhão ao dia (Foto: Valter Campanato - Agência Brasil - Especial DP)

Decreto publicado em edição extra do Diário Oficial da União na sexta-feira (20) prorrogou o emprego das Forças Armadas no combate às queimadas e ao desmatamento ilegal na região da Amazônia Legal. Inicialmente, o prazo de atuação dos militares iria até o próximo dia 24 de setembro. Com a prorrogação, os trabalhos vão continuar por mais um mês, até o dia 24 de outubro.

A Amazônia Legal é um território que abrange a totalidade dos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e parte dos estados de Mato Grosso, do Tocantins e do Maranhão. O decreto de Garantia da Lei e Ordem Ambiental (GLOA) autoriza ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais e levantamento e combate de focos de incêndio.

O vice-presidente Hamilton Mourão, no exercício da Presidência, informou no dia 13 deste mês, que as operações das Forças Armadas na Amazônia tinham resultado, até àquele momento, na aplicação de mais de R$ 25 milhões em multas, além apreensão de 12 mil metros cúbicos de madeira, veículos, embarcações, motosserras e outros equipamentos. Foram realizados pelo menos 350 ataques a focos de queimadas terrestres e outras 350 incursões aéreas para debelar incêndios.

De acordo com Mourão, o custo de atuação das Forças Armadas na Amazônia é de cerca de R$ 1,5 milhão por dia, principalmente por causa do emprego das aeronaves.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados