Política

Executivo formaliza cedência do terreno à Câmara

Novo local será no Parque Una e previsão é que fique pronto ainda na atual legislatura

26 de Outubro de 2021 - 19h21 Corrigir A + A -
Até o fim de 2024 a nova sede da Câmara estará pronta - (Foto: Gustavo Vara/ Ascom)

Até o fim de 2024 a nova sede da Câmara estará pronta - (Foto: Gustavo Vara/ Ascom)

A cedência do terreno que sediará a Câmara de Vereadores de Pelotas, no Parque Una, foi formalizada na manhã desta terça-feira (26). No Legislativo, junto com alguns parlamentares, a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) assinou o termo de compromisso de transferência de posse que pode pôr fim à necessidade de uso de imóvel locado para o parlamento.

Paula e o presidente da Casa, Cristiano Silva (PSDB), classificaram o momento como histórico. "Em toda sua história a Câmara nunca teve uma sede própria. O mais importante é termos um espaço adequado para o nosso parlamento, que tenham gabinetes e plenário adequados, que o local possa receber toda a população", disse a prefeita. Ela ressaltou os debates que envolveram a definição da sede e, mesmo considerando que um prédio central seria o ideal, ponderou que nenhuma das tratativas neste sentido avançou.

Conforme Silva, até o fim de 2024 a nova sede da Câmara estará pronta. "Vamos para um prédio que não terá custo nenhum para a Câmara, custo nenhum para a prefeitura e muito menos para o nosso contribuinte", afirmou.

Depois da assinatura de cedência do terreno, foi confirmada a ideia de um concurso para eleger o projeto arquitetônico. Os detalhes do edital devem ser divulgados na sexta-feira, segundo o presidente do Legislativo. A comissão que será responsável por avaliar os materiais será composta pela universidades Federal e Católica de Pelotas, Faculdade Anhanguera, Associação de Engenheiros e Arquitetos de Pelotas (AEAP), Instituto de Arquitetos do Brasil/ Núcleo Pelotas (IAB), Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) e a Secretaria de Gestão da Cidade e Mobilidade Urbana (SGCMU).

Não agradou a todos

Não foi unânime entre os vereadores a decisão da Mesa Diretora. Depois da cerimônia de cedência, os parlamentares foram convidados a registrar o momento com uma foto. Porém, nem todos aceitaram posar com a prefeita e o presidente da Casa. Insatisfeita com a definição do futuro endereço do Legislativo, Cristina Oliveira (PDT) disse que faltou comunicação entre os vereadores. "A gente poderia ter uma reunião na Casa e isso ser exposto aos vereadores. Poderiam ter nos informado da visita da prefeita e sobre essa assinatura. Isso nos chateia", disse, ressaltando não ter opinião formada sobre a nova sede, mas que considera ter faltado diálogo.

Já Jurandir Silva (PSOL) chegou a questionar se o momento seria a formalização da cedência ou se haveria algum debate. Outro ponto destacado pelo vereador foi que até a semana passada as discussões ainda apontariam como possível novo local a avenida Fernando Osório. "Quero saber se a população de Pelotas entende que o Parque Una é uma boa localização para a Casa do Povo. Eu não acho adequado, assim como não acho esse prédio. Acho absurdo pagar aluguel, mas isso não quer dizer que podemos tomar decisões apressadas."

Quem também não se juntou a foto foi Miriam Marroni (PT). "O lugar é interessante, mas o grande problema do Parque Una é o transporte, as linhas de ônibus de todos os bairros precisarão chegar naquele local", argumentou.

Relembre

Na última semana, o Legislativo pelotense decidiu ocupar terreno de 4,5 mil metros quadrados no loteamento, que se comprometeu a entregar o espaço ao município totalmente urbanizado, sem custo aos cofres públicos. O plano é que a nova sede da Câmara tenha estrutura para abrigar até 30 vereadores e possua caráter autossustentável. O investimento estimado na obra é de R$ 10 milhões.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados