Pandemia

Estado passa a ter nove regiões na bandeira vermelha

Atualização divulgada pelo governo no começo da noite de sexta indica permanência da região de Pelotas com nível médio de risco

26 de Junho de 2020 - 19h13 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Mapa Bandeiras Distanciamento 260620Crescimento das bandeiras vermelhas preocupa (Foto: Reprodução - Governo do Estado)

O mapa do sistema de distanciamento controlado divulgado pelo governo do Estado no começo da noite de sexta-feira (26) indica que há um agravamento no avanço do novo coronavírus. Enquanto na semana passada o modelo indicava quatro regiões como bandeira vermelha, na atualização recente o número de referências nesta classificação passou para nove. Além de Porto Alegre, Capão da Canoa, Novo Hamburgo e Canoas, que permanecem em estado de atenção pela segunda semana consecutiva, entraram na lista Caxias do Sul, Erechim, Palmeira das Missões, Passo Fundo e Santo Ângelo.

Na região de Pelotas, apesar dos três óbitos registrados no final de semana passado, a bandeira se manteve na cor laranja (risco médio), assim como Santa Maria, Uruguaiana, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul e Lajeado. Somente as regiões de Taquara e Bagé se encontram em bandeira amarela (risco baixo).

Conforme o acompanhamento feito pelo Palácio Piratini, o número de novos registros de hospitalizações por Covid-19 no Estado, nos últimos sete dias, comparado com a semana anterior, apresentou aumento de 20%, passando de 512 para 613. O mesmo se observa com o número de internados em leitos clínicos para Covid-19, que passou de 365 para 478 internações - crescimento de 31%.

Um dos principais fatores que levaram a consolidação das bandeiras vermelhas e laranja é o agravamento do indicador de capacidade de atendimento (número de leitos de UTI livres para cada leito ocupado por pacientes Covid), mensurada no Estado como um todo. Até a rodada anterior, o indicador recebia a bandeira laranja, mas na rodada atual atingiu bandeira vermelha, indicando piora.

Esse indicador permite acompanhar a capacidade de resposta da rede hospitalar para atender a população que necessita de atendimento neste nível de atenção. No entanto, é um indicador que também está diretamente relacionado ao avanço da doença no Estado, uma vez que, quanto maior o número de casos ativos, maior o número de pacientes que necessitarão de atendimento hospitalar e maior o risco de pressão no sistema de saúde.

Prazo para recursos

Conforme o novo método adotado pelo governo desde a semana passada, as bandeiras anunciadas nesta sexta-feira ainda são consideradas uma classificação preliminar. Os municípios têm até as 8h de domingo para enviar eventuais contestações às bandeiras indicadas. A partir daí, o Gabinete de Crise fará a análise dos dados novamente e consolidará as bandeiras definitivas, que serão divulgadas na segunda-feira à tarde e passarão a valer na terça.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados