Reeleição

Eduardo Leite é pré-candidato ao governo do Estado

Ex-governador do Rio Grande do Sul será o nome do PSDB nas eleições deste ano

13 de Junho de 2022 - 13h27 Corrigir A + A -

Por: Henrique Risse
henrique.risse@diariopopular.com.br 

Anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira. (Foto: Maurício Tonetto)

Anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira. (Foto: Maurício Tonetto)

O pelotense Eduardo Leite vai tentar a reeleição ao governo do Estado em 2022. Em coletiva de imprensa concedida no início da tarde desta segunda-feira (13), o ex-governador anunciou que será o nome do PSDB à corrida ao cargo de governador do Rio Grande do Sul.

“Esta é uma decisão coletiva do meu partido. Mas, sobretudo, é uma decisão tomada ao lado e junto com o governador Ranolfo, como foram todas as outras decisões que tomamos nos quatro anos do nosso governo. Ranolfo não é apenas leal, mas é comprometido, tanto quanto eu, com o projeto que idealizamos e construímos juntos, e para o qual continuamos unidos para leva-lo ainda mais longe”, disse.

Apesar de ter declarado em inúmeras oportunidades que era contra a reeleição, Leite revelou que não mudou seus princípios para concorrer novamente ao Palácio Piratini. “Assim como fiz em Pelotas, quando fiquei no governo e minha vice foi disputar a eleição, agora sou eu que disputo a eleição, e meu vice está sendo o excelente governador que se provou desde que assumiu, em 31 de março deste ano. Estar fora do cargo é a única maneira em que eu aceitaria disputar a reeleição. Mudei de opinião, mas não mudei de princípios. Por isso disse tantas vezes que a renúncia me abria todas as possibilidades e não me retirava nenhuma.”

A confirmação vem 75 dias depois de Leite ter renunciado ao cargo. À época, a saída do então governador estadual foi ligada ao suposto interesse dele em concorrer à Presidência da República. Ele, no entanto, deixou claro que o motivo da renúncia foi colocar o seu nome à disposição do partido. Leite aproveitou para reforçar o apoio do PSDB ao nome de Simone Tebet (MDB) para concorrer ao Planalto como uma terceira via.

“A decisão final de concorrer foi postergada até agora porque a nenhum de nós, neste momento do país, é dado o direito de não olharmos para o Brasil. O cenário nacional de polarização indesejada exigiu de nós o desprendimento e a coragem para tentarmos construir uma alternativa. E é claro que, como governador de um estado importante, eu não poderia deixar de participar, assim como outros fizeram. O ex-governador João Doria renunciou para se colocar à disposição, eu renunciei para me colocar à disposição aqui ou lá, o Cidadania desistiu de ter candidato e o próprio PSDB abriu mão da cabeça de chapa para termos, hoje, uma candidatura única da terceira via, numa construção demorada, complexa e inédita na história do país”, afirmou.

Estado não é plano B

Durante a coletiva, Eduardo Leite negou que a entrada na disputa pelo governo estadual seja um plano B. “Se Plano A fosse ser candidato à presidência da República, eu teria trocado de partido político, e não o fiz, porque a minha vida na política sempre foi de uma forma, a de me colocar à disposição para onde melhor eu possa dar a minha contribuição. Eu tive ofertas de caminhos que me garantiriam ser candidato à Presidente. Mas nunca foi sobre ser candidato à Presidente, foi sobre ajudar a construir uma alternativa para o país. Eu não seria aquele que viria fazer dispersar energias na terceira via, trocar de partido poderia me fazer candidato, mas dispersando - em mais de uma candidatura - o esforço para tentar constituir uma alternativa à polarização que está aí imposta ao país”, justificou.

Apoio de Ranolfo

Governador em exercício até o final do ano, Ranolfo Vieira Júnior era o mais cotado para encabeçar a chapa do PSDB nas eleições. Ao lado de Leite durante o anúncio, garantiu que já estava decidido a abrir mão da candidatura caso o colega de partido reconsiderasse a participação no pleito.

“Vou reafirmar o que eu disse todas as vezes que me perguntaram sobre a possibilidade de se confirmar a candidatura de Eduardo Leite ao Governo do Estado: Eduardo Leite e Ranolfo, Ranolfo e Eduardo Leite estarão juntos em 2022, na disputa ao Governo do Rio Grande do Sul. Sempre ressaltei que abriria mão de concorrer à reeleição caso houvesse a confirmação da candidatura do Eduardo. Agora, portanto, eu reforço o meu total apoio a ele nas eleições deste ano aqui no Estado.”


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados