Eleição 2020

Disputa eleitoral muda Câmara e secretariado

Enquanto janela partidária resulta em trocas de partidos de vereadores, Paula substitui secretários que pretendem se candidatar

04 de Abril de 2020 - 15h36 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

WhatsApp Image 2020-04-03 at 21.11.21

Oito dos 21 vereadores titulares de Pelotas deixaram partidos que haviam sido eleitos em 2016 para tentarem reeleição em nova sigla (Fotos: Paulo Ferreira e Volmer Perez - Câmara de Vereadores)

Encerrada na sexta (3), a janela partidária de um mês aberta pela Justiça Eleitoral confirmou mudanças na Câmara de Pelotas. Dos 21 vereadores, oito passaram a integrar novas legendas. Já no Executivo, o final de semana é de substituição no secretariado. A prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) anunciou as saídas de Aldo Bruno Ferreira (PTB) da Segurança Pública e Luiz Eduardo Longaray (Cidadania) da Assistência Social. Em seus lugares assumem, respectivamente, Samuel Ongaratto (sem partido) e Marcio Sedrez (Cidadania).

Na Câmara, a movimentação não só sacude bancadas, mas também deve pode interferir na natural queda de braço entre situação e oposição. Isto porque duas das nove trocas de partidos significaram a saída de parlamentares de siglas contrárias ao governo direto para a base. Éder Blank e Marcos Ferreira, o Marcola, deixaram PDT e PT, respectivamente, para embarcar no PTB. Partido com papel central na administração de Paula Mascarenhas (PSDB), já que conta com o vice Idemar Barz e articula nos bastidores a continuidade no posto para a próxima disputa nas urnas. Apesar disso, Blank e Marcola evitam admitir-se no time governista.

"Nossa postura será a mesma, votando sempre a favor do que for em benefício da comunidade. Temos um compromisso com Pelotas e com a população de Pelotas e não é por ser posição ou oposição que nossa postura será diferente", diz Marcola. Declaração semelhante ao que tem dito Blank. Ligado ao Sindicato dos Rodoviários, o ex-pedetista já declarou que não hesitará em enfrentar o partido e o Executivo em pautas que contrariem os trabalhadores.

Foi justamente por conta de conflitos com as orientações partidárias e da bancada que Reinaldo Elias deixou o PTB. Sua relação se desgastou depois de não apoiar projetos como a reestruturação de vencimentos dos professores e a implantação da cobrança pela iluminação pública. Porém, escolheu como nova casa o PSD, outro aliado do Executivo. "Saí (do PTB) porque gostariam que eu fosse 100% base, sempre a favor do Executivo. Sempre disse que meu partido são as pessoas que me elegeram, a cidade. Assim foi meu acordo com o PSD".

Em situação semelhante, Vicente Amaral também migrou para o PSD. Afirma que, embora não tenha sido perseguido pelo PSDB, preferiu mudar de sigla. "Continuarei na base do governo. Tive convites da oposição, mas não quis. O PSD é da base, mas terei a liberdade de votar", explica. Segundo o presidente Daniel Mussi, tanto Elias quanto Amaral deverão estar alinhados ao partido, mas terão liberdade para definir votos específicos.

PTB cresce, PDT encolhe

Embora tenha perdido Vicente Amaral, o PSDB se mantém como a maior bancada com a chegada de Zilda Bürkle (ex-PSB). Já o PTB toma o segundo lugar, desbancando o PDT. Quem também cresce é o PP, que tem o reforço de Fabrício Tavares ao lado de Roger Ney. Cidadania e PL, até então sem representação, completam o quinteto daqueles que saíram ganhando. Salvador Ribeiro (ex-MDB) e Daiane Dias (ex-PSB) assumem nas siglas. Além da extinção do MDB na Câmara e da redução do PDT, estão entre os que encolhem o PT e PSB.

Confira como ficaram as bancadas

PSDB - Enéias Clarindo, Dila Bandeira, José Paulo Benemann e Zilda Bürkle (ex-PSB)

PTB - Anderson Garcia, Éder Blank (ex-PDT) e Marcos Ferreira (ex-PT)

PSD - Reinaldo Elias (ex-PTB) e Vicente Amaral (ex-PSDB)

PP - Roger Ney e Fabrício Tavares (ex-PSD)

PDT - Marcus Cunha e Cristina Oliveira

DEM - Ademar Ornel e José Sizenando

PSB - Antônio Peres

PL - Daiane Dias (ex-PSB)

Cidadania - Salvador Ribeiro (ex-MDB)

PT - Ivan Duarte

PSOL - Fernanda Miranda

Republicanos - Waldomiro Lima

Novos secretários já atuam nas áreas

A troca no secretariado promovida por Paula Mascarenhas não foi surpresa. Com a exigência da legislação de que futuros candidatos na eleição se afastem dos cargos executivos até 4 de abril, seis meses antes da votação, Luiz Eduardo Longaray e Aldo Bruno Ferreira eram saídas certas. Ambos estavam nos cargos desde 2017 e pretendem disputar cadeiras na Câmara.

No lugar de Longaray na Assistência Social foi nomeado o diretor executivo da pasta, Marcio Sedrez. Com isso, ao menos por enquanto, não haverá troca de partido no comando da secretaria, mantida com o Cidadania. Já Ferreira será substituído por Samuel Ongaratto, assessor especial da prefeita e coordenador do programa Pacto Pelotas pela Paz.

Segundo Paula, as escolhas de forma interina foram feitas para que não houvesse interferência nos trabalhos das secretarias em momento de foco no combate ao coronavírus. "As duas secretarias estão na linha de frente do trabalho de enfrentamento à Covid-19: a Segurança, no trabalho de orientação à comunidade e fiscalização das medidas de contenção do vírus; e a Assistência cuidando de quem mais precisa, através de políticas inclusivas", disse.

 

Propriedade intelectual do Jornal Diário Popular

Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados