Distanciamento social

Comissão da Câmara também quer multas por aglomeração

Proposta citada pela prefeita Paula Mascarenhas é defendida também pela Comissão de Saúde do Legislativo

23 de Maio de 2020 - 15h31 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Em estudo pelo Executivo como uma possibilidade de evitar concentração de público em praças, parques e outras áreas de lazer, a adoção de multas a quem participar de aglomerações é defendida também pela Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores de Pelotas. Esta semana, o tema foi discutido entre a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) e o presidente do colegiado, Marcos Ferreira, o Marcola (PTB).

A preocupação com o grande número de pessoas que estiveram no final de semana dos dias 16 e 17 em locais como Laranjal, Parque Una e Recanto de Portugal chamou a atenção. O objetivo é desestimular agrupamentos, considerados por autoridades de saúde como um dos principais fatores de risco para a disseminação da Covid-19.

“É preciso meios para evitar isso, pois essas aglomerações podem ter efeitos catastróficos dentro de 15 dias, basta que alguém daquelas multidões estivesse doente”, argumenta Marcola. O vereador defende a adoção de multa diante do efeito insuficiente das orientações que têm sido repassadas à população. "É preciso atingir as pessoas onde elas sentem, que é o bolso. É preciso multar quem estiver na orla, nos parques, nas praças desrespeitando os decretos que têm como objetivo garantir a saúde pública.”

Na quinta (21), em transmissão ao vivo pelas suas redes sociais, Paula disse que o tema está em análise na prefeitura. No entanto, sinalizou com a intenção de encaminhar um projeto de lei à Câmara instituindo as multas. Na sexta (22), assessoria jurídica da prefeita e Procuradoria Geral do Município (PGM) ainda analisavam formas legais de colocar em prática a medida.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados