Interferência na PF

Celso de Mello envia à PGR três notícias-crime contra Bolsonaro

Ministro do STF encaminhou pedidos de partidos e parlamentares que incluem apreensão de celular do presidente

22 de Maio de 2020 - 11h45 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Celso de Mello 221019 - Nelson Jr STF

Celso de Mello atendeu a pedido para desdobramentos na investigação sobre interferência presidencial na PF (Foto: Nelson Jr. - STF)

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou à Procuradoria-Geral da República (PGR) três notícias-crime que pedem novas apurações na investigação sobre a tentativa de Jair Bolsonaro de interferir na Polícia Federal (PF). Foram solicitados o depoimento do presidente e a busca e apreensão do seu celular, além do aparelho do filho, Carlos Bolsonaro.

Conforme despacho de Celso de Mello, o Estado tem a obrigação de averiguar a “autoria e materialidade dos fatos delituosos narrados por qualquer pessoa do povo”. Neste caso, são investigadas as acusações do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. Ao pedir demissão do cargo, ele indicou que Bolsonaro teria pressionado por diversas vezes na tentativa de mudar o comando da PF no Rio de Janeiro e informações e influência nos trabalhos da corporação.

Com base no que foi relatado por Moro, a PGR passou a apurar os fatos ouvindo o ex-ministro da Justiça e ministros mais próximos a Bolsonaro e que teriam testemunhado as reuniões em que o presidente pressionaria por mudanças na PF.

Em pedidos anteriores feitos por parlamentares sobre o mesmo inquérito, o procurador-geral da República, Augusto Aras, manifestou-se no sentido de que este tipo de apuração cabe ao Ministério Público Federal (MPF). Contudo, Celso de Mello ressaltou a competência da PGR e pediu manifestação sobre o tema. Não há prazo para decisão de Aras.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados