Liberado

Câmara aprova projeto que libera empreendimentos no Jockey

Decisão foi unânime entre todos os vereadores; enquanto projeto era votado, no outro lado da cidade o contrato era assinado entre clube e lojas Havan

12 de Março de 2019 - 17h44 Corrigir A + A -
Votação foi aprovada por unanimidade. (Foto: Lenise Slawski - Câmara de Vereadores)

Votação foi aprovada por unanimidade. (Foto: Lenise Slawski - Câmara de Vereadores)

O projeto não tinha nem sido votado quando era anunciado nas redes sociais de Luciano Hang, proprietário das lojas Havan, anunciava o acerto com o Jockey Club de Pelotas. Na Câmara de Vereadores, os parlamentares se reuniam para analisar a constitucionalidade da proposta dentro da comissão responsável, passo obrigatório para chegar a votação final no plenário, o que aconteceu por volta das 11h. Por unanimidade, a proposta foi aprovada em todas as instâncias do legislativo.

Com parte da diretoria presente no plenário, houve aplausos no momento da aprovação. O principal argumento era a salvação financeira do Jockey Club, em crise com as contas há anos. Os investimentos previstos no local prometem dar um fôlego à associação e ao esporte.

“A gente não quer que feche e vire um shopping como aconteceu em Rio Grande. É um clube que gera emprego pra mais de 100 famílias. É o clube mais democrático de Pelotas”, defendeu Anderson Garcia (PTB), autor da proposta e integrante do conselho deliberativo do clube. Após a aprovação, Garcia posou numa foto com integrantes da diretoria carregando uma cópia do projeto em mãos.

Comissão
Na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), a vereadora Fernanda Miranda (PSOL) lembrou que a legislação proposta não contemplava mudanças em outras leis municipais, caso do Plano Diretor, que cita a área como de Área Especial de Interesse do Ambiente Cultural (AEIAC) no seu artigo 70. “São elementos que não estão contemplados no projeto”, disse.

Na sequência, foi lida no plenário um parecer jurídico realizado por advogados da Câmara que afirmava ser constitucional a proposta. O parecer tratava sobre a consulta realizada ao Conselho Municipal de Cultura, que teria caráter apenas consultivo e não seria decisivo para a liberação ou não.

Consenso
No final, todos concordaram em aprovar a matéria pelo investimento anunciado e pela geração de empregos, em torno de 200, conforme anunciado. O presidente Fabrício Tavares (PSD) disse ter recebido uma ligação do próprio proprietário da rede Havan, Luciano Hang, para tratar da aprovação. “O empreendimento é a salvação de todo o patrimônio do Jockey”, manifestou.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados