Obras

Bolsonaro inaugura trechos da BR-116 e promete mais 55 quilômetros duplicados

Em ato às margens da rodovia, presidente liberou oficialmente 47 quilômetros e disse ter mais R$ 100 milhões para a obra em 2019

12 de Agosto de 2019 - 12h08 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Presidente prometeu retomar a malha ferroviária.  (Foto: Paulo Rossi - DP)

Presidente prometeu retomar a malha ferroviária. (Foto: Paulo Rossi - DP)

*Atualizada às 18h01min para acréscimo de informações.

Jair Bolsonaro (PSL) inaugurou nesta segunda-feira (12), oficialmente, os primeiros 47 quilômetros duplicados da BR-116. Acompanhado de uma comitiva de deputados, ministros, do vice-governador Ranolfo Vieira Júnior (PTB) e da prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas (PSDB), o presidente esteve pela primeira vez na Zona Sul do Estado desde que se lançou candidato e foi eleito. Além de liberar o tráfego em novos trechos da rodovia, prometeu acelerar o ritmo das obras e entregar mais 55 quilômetros concluídos até o final do ano.

Sob forte esquema de segurança, o presidente chegou ao posto da Ecosul no quilômetro 492 da rodovia às 10h15min. Recepcionado sob aplausos e gritos de apoio de cerca de 250 pessoas, foi o último a discursar na cerimônia que durou pouco mais de uma hora. Ele descerrou placa em alusão às três frações da estrada entregues pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) (confira quadro) e afirmou que há prioridade à conclusão de empreendimentos em andamento, caso da BR-116.

"Hoje de manhã, ainda em Brasília, na frente de todos os deputados e senadores que estavam lá, o Onyx (Lorenzoni, ministro da Casa Civil) me trouxe o telefone do Paulo Guedes, nosso ministro da Economia. Ele nos garantiu, ainda no corrente ano, mais R$ 100 milhões para concluirmos mais um trecho de 55 quilômetros dessa rodovia", anunciou. A demanda pelo recurso havia sido apresentada pela bancada gaúcha, mas somente agora houve a sinalização definitiva de destinação.

Antes desse anúncio, o ministro da Infraestrutura já havia afirmado que os 50 quilômetros dos lotes 1 e 2, entre Guaíba e Tapes, devem ser entregues em breve. A construção está sendo feita por equipes do Exército. Tarcísio Gomes de Freitas assegurou ainda a entrega de todos os 211 quilômetros da BR-116 entre Guaíba e Pelotas até 2021. Antes disso, em 2020, comprometeu-se a finalizar o Contorno de Pelotas e a nova Ponte do Guaíba, outra obra prioritária no Estado. "É uma lista enorme de investimentos no Rio Grande do Sul que chegam perto, nos próximos anos, a R$ 13 bilhões", contabilizou.

Pedidos de continuidade
Presidente da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) e prefeito do Capão do Leão, Mauro Nolasco (PT), considera que a liberação dos primeiros pontos de pista dupla na principal rodovia da região representam boa notícia. Mas lembra que ainda são necessários cerca de R$ 600 milhões para a conclusão. "Isso é importante para o desenvolvimento da região e para proteção às vidas.", lembra.

Para a prefeita Paula Mascarenhas, a entrega de segmentos representa vitória da mobilização regional. Ela pediu a Bolsonaro que garanta a continuidade das obras. "Quero lhe pedir que a gente possa acreditar que o ritmo vai ser mantido. Pois se conseguirmos, a cada seis meses, ver 50 quilômetros de BR-116 duplicadas, conseguiremos realizar o sonho."

Os deputados federais pediram maior orçamento para a estrada. "É preciso cobrar para que a estrada fique totalmente pronta o quanto antes", diz o deputado federal Daniel Trzeciak (PSDB). Presidente da Frente Parlamentar em Defesa da BR-116, Afonso Hamm (PP) entregou ao presidente documento pedindo que outros R$ 120 milhões sejam destinados à rodovia.

Polêmica argentina e fim dos radares
Em sua passagem por Pelotas, Bolsonaro não falou apenas da duplicação da rodovia. Em seu discurso e em entrevista coletiva, comentou a recente prévia da eleição presidencial argentina, em que Maurício Macri (candidato preferido do presidente brasileiro) foi derrotado por Alberto Fernández. "Se essa 'esquerdalha' voltar na Argentina, poderemos ter, sim, no Rio Grande do Sul, um novo estado de Roraima. Não queremos ter irmãos argentinos fugindo para cá", comentou.

Bolsonaro também voltou a falar sobre o que considera "indústria das multas". Ele anunciou que, enquanto aguarda decisão judicial sobre o fim dos pardais nas rodovias, está determinando a abolição dos radares móveis. "A partir da semana que vem não teremos mais radares móveis no Brasil. A covardia de ficar em um 'descidão', em um 'retão', alguém ficar atrás de uma árvore para multar vocês vai acabar."


Comentários