Política

Atos favoráveis e contrários ao presidente reúnem manifestantes

No Rio de Janeiro, apoiadores se concentraram na zona sul e opositores, no centro

07 de Setembro de 2021 - 13h28 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Manifestações contra e pró-governo de Jair Bolsonora marcaram a manhã do feriado da Independência nesta terça-feira (7). Em Brasília, desde o final da noite de segunda-feira (6) manifestantes favoráveis ao atual presidente se agrupavam na Esplanada dos Ministérios, em ato irregular visto que esta área estava bloqueada. Ainda pela manhã, a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) informou que restabeleceu bloqueio na Esplanada, após o grupo de manifestantes furar barreira de contenção.

Já os manifestos de oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro começaram a mobilização desde as 9 horas na Torre de TV, área central de Brasília. Os manifestantes pediam a saída do presidente da República.

Bolsonaro participou dos atos de apoio a seu governo e, num trio elétrico, falou com os manifestantes e se pronunciou fazendo ameaças ao Supremo Tibunal Federal (STF). "Ou o chefe desse poder enquadra os seus ou esse poder pode sofrer aquilo que não queremos", disse no discurso. O presidente ainda falou em instalar possível estado do defesa ou estado de sítio.

Ainda durante a manhã, um grupo de apoiadores do governo foi dispersado pela Polícia Militar do Distrito Federal, que chegou a disparar bombas de gás para disperar grupo que atirava fogos de artifício próximo ao Palácio Itamaraty. Por volta das 11h30min a manifestação pró Bolsonaro foi dispersada. 

Já os manifestos de oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro começaram a mobilização desde as 9h na Torre de TV, área central de Brasília, a cerca de 2,5 quilômetros do manifesto pró-governo.

Com faixas pedindo o impeachment de Bolsonora e de apoio ao ex-presidente Lula (PT), os manifestantes usavam máscara, mas não respeitavam as indicações de manter o distânciamento. 

Rio de Janeiro

Manifestantes favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro se reuniram pela manhã na Praia de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, desde pouco antes das 10h. Também nesta manhã, um grupo contrário ao presidente participou, no centro, do 27º Grito dos Excluídos, manifestação que ocorre sempre no feriado do 7 de Setembro.

No centro da cidade, os cartazes do protesto que começou na rua Uruguaiana pediam a saída de Bolsonaro da Presidência e traziam as pautas do Grito dos Excluídos. Neste ano, o movimento tem como tema "Vida em Primeiro Lugar", destacando o desemprego, os impactos da pandemia de covid-19 e a defesa do Sistema Único de Saúde.

Entre os manifestantes, havia bandeiras de centrais sindicais, movimentos sociais e estudantis. O protesto seguiu pelas avenidas Presidente Vargas e Rio Branco, em direção à Praça Mauá.

No ato na zona sul do Rio de Janeiro, os manifestantes a favor do presidente usavam camisas verde-amarelas, portavam bandeiras do Brasil e exibiam cartazes, em português e inglês, em apoio a Bolsonaro e em defesa do voto impresso, além de mensagens contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

O protesto contou com carros de som, começou na altura do Posto 5 da Praia de Copacabana e fechou as duas pistas da Avenida Atlântica. A manifestação no bairro contou ainda com um comboio de motociclistas, que percorreu bairros das zonas oeste e sul do Rio.

São Paulo

Em São Paulo as manifestações de apoio a Bolonora se concentraram na avenida Paulista, região Central. Com cartazes, faixas e gritos de ordem os manifestantes levaram para rua pauta antidemocráticas e contra o Supremo Tribunal Federal. Alguns ainda pediam intervenção militar.

Apoiadores de Bolsonaro também ocuparam as duas faixas da ponte Estaiada, por volta das 12h30min, Zona Sul da Capital paulista. Desrespeitando as determinações das autoridades sanitárías no combate à pandemia, muitos não estavam de máscara e fazendo aglomerações.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados