Eleições 2022

Agora só em 2024

Último dia para regularizar e emitir o título foi movimentado no Cartório Eleitoral. Quem chegou em cima da hora, ainda garantiu agendamento

04 de Maio de 2022 - 19h48 Corrigir A + A -

Por: Cíntia Piegas
cintiap@diariopopular.com.br 

Fila se formou em frente ao prédio desde as primeiras horas da manhã (Foto: Jô Folha - DP)

Fila se formou em frente ao prédio desde as primeiras horas da manhã (Foto: Jô Folha - DP)

Após uma hora da abertura do Cartório Eleitoral de Pelotas, na reta final do prazo para ficar em dia com a Justiça Eleitoral, mais de 170 pessoas haviam sido atendidas nesta quarta-feira (4) de forma presencial. São eleitores que deixaram para a última hora a garantia de escolher os próximos deputados estaduais, deputados federais, governadores, senadores e presidente da República, no dia 2 de outubro - ou dia 30, onde houver segundo turno. Apesar da demanda, as equipes consideraram a primeira hora de atendimento tranquila. Na frente do prédio, uma pequena fila se movimentava de dez a 15 minutos, conforme o tempo de liberação dos guichês. Quem chegou em cima da hora de fechamento, ou seja, às 19h, garantiu agendamento para quinta ou sexta-feira, conforme o número de fichas distribuídas.

“Decidimos adotar essa medida, pois muitos eleitores deixam para a última hora sabendo que temos uma estrutura limitada. Então, quem fechou no prazo, garantiu atendimento”, disse o chefe de Cartório da 60ª Zona Eleitoral, Paulo Alex Souza. Desde que iniciou a procura por atendimento, observou-se no Cartório Eleitoral de Pelotas que parte dos atendimentos foi para regularizar o título, ou seja, resolver pendências de multas ou cancelamentos. “Trinta por cento são para novos eleitores entre 16 e 18 anos, contando com alguns retardatários que já estão na idade obrigatória de votar e ainda não tinham cadastro. Por fim, 20% pedem transferência de município ou endereço.” Quem perdeu a oportunidade, não poderá votar e terá que se explicar em 2024, pois o título é cancelado. Esses dados serão todos processados, a tempo do pleito, e por isso a lei 9.504/97, artigo 91, determina que o prazo de fechamento do Cadastro Eleitoral seja 150 dias antes das eleições.

O estudante Elias Eliades da Rosa Fernandes, de 18 anos, foi um que deixou para fazer o título no último dia e ainda tinha dúvidas sobre a documentação. “Disseram que a carteira de vacinação da Covid-19 é obrigatória, mas eu não tenho ela aqui. Mesmo assim vou tentar”, disse, na porta do prédio. Por sorte, o rapaz descobriu que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) suspendeu, há uma semana, a apresentação do passaporte vacinal. Para o jovem, o voto é importante, pois ajuda a sociedade a escolher representantes que façam mais pelo povo.

Outro estudante que aguardava na fila contou à reportagem que foi comunicado que deveria comparecer ao Cartório para fazer a biometria, sendo que o sistema digital foi suspenso nesta eleição por causa da Covid-19. “Faz três meses que aguardo a confirmação do meu primeiro título”, disse Adriano Lima da Nova, 17 anos. Segundo o chefe de Cartório, Paulo Souza, há muitas fake news que têm atrapalhado a agilidade do processo de cadastramento. “Muitos eleitores têm recebido e-mail orientando a comparecer ao Cartório, sendo que não há necessidade. Ainda não sabemos a origem dessas mensagens”, explicou o responsável. O contato é feito quando a solicitação online fica pendente. “A alternativa é filtrar quem está na fila, embora isso cause constrangimento e mais desconfiança do eleitor por causa da desinformação”.

A falta de informação também levou algumas pessoas a procurarem atendimento para regularizar o título por não terem votado no primeiro turno de 2020, sem saber que a cobrança de multa, causada pela ausência às urnas naquele ano, está suspensa por determinação do TSE. Não há, portanto, necessidade de emissão de guia de multa ou do comparecimento para justificativa. “Mesmo assim, recebemos a pessoa e emitimos um documento garantindo que está tudo correto”, justificou Souza.

Acompanhamento
Quem optou por fazer a solicitação online ganhou mais tempo. Conforme o TSE, pedidos encaminhados até as 23h59min desta quarta serão analisados, com prazo de retorno de até 30 dias. A facilidade de imprimir, por exemplo, um título em casa, trocar de endereço com alguns cliques e até mesmo conferir se está em dia com a Justiça Eleitoral, fez com que os acessos batessem recorde. Um dia antes do encerramento do prazo, o Tribunal contabilizou mais de um milhão de atendimentos em 36 horas. Até as 15h de terça, foram 640 mil solicitações virtuais, pelo Título Net, e 527 mil requerimentos de alistamentos eleitorais (RAEs) nos Cartórios (sistema Elo), totalizando 1,167 milhão.

Mas ainda é preciso destacar que o eleitor deve aguardar a análise dos dados, conferindo sempre se não ficaram pendências. “Muitos não conferem a solicitação e quando não temos retorno através de telefonemas ou mensagens por WhatsApp, o título é cancelado em dois dias”, destaca Paulo Souza
Quem teve o processo solicitado pelo TítuloNet (www.tse.jus.br), após a validação dos dados, pode imprimir a documentação. Já a versão digital do título eleitoral estará disponível no aplicativo e-Título, a partir de hoje, com a funcionalidade do QR Code para validação de documentos.

Resultado
No dia 11 de julho, o TSE vai divulgar o número de eleitores aptos a votarem no pleito deste ano. O último dado do TSE, referente a Pelotas, garante a 244.809 cidadãos e cidadãs o direito; número que deve aumentar caso todas as solicitações sejam solucionadas.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados