Expectativa

Reta final da campanha acirra ânimos em Pinheiro Machado

A 11 dias para nova eleição, chapas trocam farpas e buscam ganhar apoio da comunidade

24 de Junho de 2021 - 08h28 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Eleitores irão definir quem assumirá o comando da prefeitura (Foto: Gabriel Medeiros)

Eleitores irão definir quem assumirá o comando da prefeitura (Foto: Gabriel Medeiros)

Mais de dez mil pessoas estão aptas a ir às urnas em 4 de julho (Foto: Gabriel Medeiros)

Mais de dez mil pessoas estão aptas a ir às urnas em 4 de julho (Foto: Gabriel Medeiros)

Em função de ser o presidente da Câmara, Ronaldo Madruga (PP) é o atual prefeito em exercício e agora tenta permanecer no cargo (Foto: Divulgação)

Em função de ser o presidente da Câmara, Ronaldo Madruga (PP) é o atual prefeito em exercício e agora tenta permanecer no cargo (Foto: Divulgação)

Danúbio Peres (PDT) venceu a eleição em 15 de novembro, quando concorria como vice ao lado de Betiollo; agora passou para cabeça de chapa (Foto: Divulgação)

Danúbio Peres (PDT) venceu a eleição em 15 de novembro, quando concorria como vice ao lado de Betiollo; agora passou para cabeça de chapa (Foto: Divulgação)

A disputa política se acirra, em Pinheiro Machado, com a reta final da campanha. Mais de dez mil eleitores estão aptos a voltar às urnas em 4 de julho. Em meio à pandemia e com decreto municipal que proíbe atividades como carreata e caminhada com mais de quatro pessoas, cresce a aposta nas redes sociais para divulgar as prioridades e ganhar apoio da comunidade. Em 15 de novembro, 23,17% do eleitorado não compareceu. Agora fica a dúvida sobre como será a adesão.

As duas chapas lidam com suposta vantagem. De um lado, Danúbio Peres (PDT) venceu o pleito no ano passado - quando concorria como vice - e, agora, além da dobradinha com Lucel Betiollo (PSDB), conta com apoio do PT, que ficou em último lugar, mas poderia representar mais de 500 votos, no primeiro domingo de julho. Matematicamente, portanto, poderiam contar com margem superior a 1,1 mil votos. O processo, entretanto, não é automático.

De outro lado, Ronaldo Madruga (PP) ocupa o cargo de prefeito em exercício, que o coloca em destaque na defesa de bandeiras como equilíbrio financeiro e enfrentamento da Covid-19. Em 15 de novembro transformou-se em campeão de votos para Câmara de Vereadores. Conquistou mais do que o dobrou da segunda colocada, ao ser o escolhido por 799 pessoas. Em 1º de janeiro, o resultado positivo se refletiu na eleição da Mesa Diretora do Legislativo, ao ser escolhido presidente. A posição lhe concedeu o direito de assumir provisoriamente o comando do município.

"Perdi dois atacantes, mas conto com apoio de Deus e da comunidade"

Desde 9 de junho, Danúbio Peres teve dois desfalques importantes, para poder espalhar a campanha pelas ruas e estreitar o contato direto com os moradores. A candidata a vice-prefeita Lucel Betiollo e o marido Carlos Ernesto Betiollo, ex-prefeito de Pinheiro Machado, estão hospitalizados na Santa Casa de Porto Alegre, com Covid-19. A previsão é de que tenham alta amanhã, se os quadros permanecerem em evolução. "Ele precisou fazer uso de oxigênio. Chegamos a ter um pouco de medo", admite Danúbio.

Sem a dupla para integrar a linha de frente, o produtor agropecuário tem apostado na postagem de vídeos para mostrar rotina e propostas e publicar nas redes sociais. "Temos tido uma aceitação muito boa. Perdemos dois atacantes, neste momento, mas contamos com Deus e a comunidade", reforça.

"Abordagem se intensifica pelas mídias sociais"

O prefeito em exercício Ronaldo Madruga utiliza redes sociais e carros de som como ferramenta para se aproximar do eleitor, em uma campanha curta com o desafio de reverter a preferência da população. "Estamos aproveitando, principalmente, as redes para evitar aglomerações". A chapa já formalizou ao Ministério Publico Eleitoral denúncia de fake news que propaga a informação de que não teria prestado contas, ao longo dos cinco anos em que respondeu pela administração do Hospital Municipal; até afastar-se para concorrer.

"Estão utilizando este tipo de artimanha, de criar inverdades, para manchar a minha imagem". Ronaldo afirma ainda que o tema comprometimento com a gestão tem surgido entre as demandas da comunidade, que veria nas finanças públicas equilibradas a chance de ter seus anseios atendidos em diferentes áreas.

Críticas disparadas de ambos os lados 

* Opositores em uma mesma chapa: A aliança PDT/PSDB, que colocou lado a lado dois partidos de campos opostos tem gerado resistência desde o último mandato, com José Antônio Rosa e Jackson Cabral. Agora a dobradinha se repete com Danúbio e Lucel. A entrada do PT, neste novo pleito, engrossou as críticas.

Em outubro de 2011, quando o prefeito Luiz Fernando Leivas (PT) foi cassado pela Câmara de Vereadores por não responder pedidos de informações sobre gastos efetuados em 2009 e 2010, os tucanos e o próprio PDT de José Antônio Rosa (então vice-prefeito) ajudaram a derrubar o petista. Portanto, a coligação, agora, provoca uma série de descontentamentos.

"Estão falando tudo isso para acender coisas que não existem neste momento", sustenta Danúbio. E ao disparar acusações de que Ronaldo estaria se utilizando da máquina da prefeitura e do hospital em benefício próprio, lembra que tem origem no setor privado. "Venho de uma área que, quando tu erra, tu quebra. Então temos muita responsabilidade".

* Sem eleição transferida, vieram as flexibilizações: Sem o pedido para transferência de data aceito pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o prefeito em exercício Ronaldo Madruga teria dado início a flexibilizações de atividades para evitar o degaste político em plena campanha. Seriam ações populistas - sustenta a militância dos adversários.

Enquanto ainda apostava em jogar o pleito para mais adiante, a prefeitura teria, inclusive, declarado lockdowns, ao longo do mês de maio. Agora, liberou até a prática de esportes coletivos - argumentam. "Essa crítica é vazia e desproporcional. Essas medidas foram tomadas porque os nossos índices estão caindo, conforme o boletim técnico, em função das restrições que adotamos", rebate.

Só em maio, oito mortes foram registradas em decorrência da Covid-19 e existiam 130 pessoas em internação domiciliar e dez em leito hospitalar. Até a tarde de ontem, o boletim informava 44 pessoas com diagnóstico positivo se recuperando em casa e dois hospitalizados. Em junho, quatro óbitos foram notificados. Ao todo, 26 pessoas perderam a vida para a doença em Pinheiro Machado.

Confira as três prioridades, em caso de vitória:

* Danúbio Peres e Lucel Betiollo - coligação PDT/PSDB/PT:
1) Gestão participativa: Fazer um governo escutando a população e atacando os problemas direto na fonte.
2) Habitação: Volta do projeto de casas populares para baixa e média rendas.
3) Educação: Retomada do subsídio do transporte para alunos de cursos técnicos e de graduação que estudam fora da cidade.

* Ronaldo Madruga e Rogério de Moura - coligação PP/PSB/MDB:
1) Equilíbrio das finanças públicas.
2) Desenvolver políticas públicas para habitação.
3) Ampliar especialidades na área da saúde.

Relembre

Carlos Ernesto Betiollo (PSDB) foi o escolhido por 3.647 eleitores, mas ficou impedido de assumir por ser considerado inelegível pela Justiça Eleitoral. O ex-prefeito de Pinheiro Machado havia concorrido amparado por recursos. A candidatura acabou, definitivamente, indeferida com base na Lei da Ficha Limpa.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados