Eleições 2020

Recorde de chapas em São Lourenço do Sul

Pleito é marcado por seis candidatos, duas mulheres tentando entrar para história como primeira prefeita do município e racha entre chefe do Executivo e vice

20 de Outubro de 2020 - 08h53 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Destaque. Setores como agricultura, pesca, comércio e turismo movimentam a economia (Foto: QZ7 Filmes)

Destaque. Setores como agricultura, pesca, comércio e turismo movimentam a economia (Foto: QZ7 Filmes)

Os mais de 35,6 mil eleitores de São Lourenço do Sul poderão escolher entre o maior número de candidaturas à prefeitura desde a redemocratização. Seis chapas buscam o comando da Pérola da Lagoa, em um pleito também marcado por outros três aspectos: racha entre prefeito e vice, duas mulheres na disputa do cargo máximo do município e dois irmãos entre os adversários.

A eleição ao Executivo também terá impacto direto na Câmara. Independentemente do resultado das urnas, em 15 de novembro, três das 11 cadeiras estarão vagas, já que as vereadoras Carmem Rosane Roveré (PSB) e Márcia Lucas (PT) lutam para fazer história e se tornar a primeira mulher prefeita de São Lourenço do Sul. Já o parlamentar Dari Pagel (PP) - ex-prefeito no período de 1997 a 2004 - agora se reapresenta na tentativa de virar vice de Carlos Antônio Lessa, o Tonho Lessa (MDB).

Troca de farpas e concorrência pela mesma posição

O tom das críticas sobe quando entra em pauta a ruptura na gestão do prefeito Rudinei Härter (PDT), que hoje coloca ele e o vice em posições opostas. Ao responder as indagações do Diário Popular, Tonho Lessa afirma ter rompido com o prefeito por divergências graves na condução da administração. "Não fui escutado, fui alijado das decisões, motivo que me faz ter total liberdade de criticar os inúmeros equívocos do atual prefeito", cutuca. E faz referência a situações como o projeto que atualizava a Planta de Valores do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), rejeitado pelo Legislativo.

O prefeito Rudinei Härter não traz nenhum episódio específico para rebater as afirmações, mas devolve as farpas: "A participação de quem deveria ser o vice-prefeito foi mínima desde o início da gestão até se tornar totalmente inexistente".

Destaque à participação das mulheres

São Lourenço do Sul é o segundo município da Zona Sul com o maior número de mulheres concorrendo ao Executivo. São quatro candidatas: além das chapas lideradas por Carmem e Márcia, no PSB, quem fecha a dobradinha também é uma mulher - a jovem Gabriela Freitas - e, no Podemos, quem disputa o cargo de vice é a policial militar Patrícia da Costa. Apenas na cidade de Rio Grande há mais mulheres na disputa: cinco.

Em um mesmo pleito, vários nomes se reencontram

Se colocados na mesa os nomes que têm integrado a disputa pelo Executivo, nos cargos de prefeito e vice, a eleição 2020 irá reeditar confrontos que vêm ocorrendo há mais de 20 anos. Em 1996 e no ano 2000, por exemplo, Dari Pagel (PP) e Ellemar Wojahn (PT) - que hoje concorrem na condição de vice - se enfrentaram como cabeças de chapa. Nas duas oportunidades, Dari saiu vitorioso.

Em 2004, quando o petista José Nunes se elegeu prefeito, Rudinei Härter concorria como vice ao lado de Sérgio Lessa (MDB) e Cleo Uarthe liderava chapa pura do PP. Hoje estão no mesmo partido - PDT - e formam chapa, em busca da reeleição de Rudinei. 

Em 2008, quando Zé Nunes se reelegeu, os outros candidatos eram Adelar Rozin e Emílio Lessa. Ambos, entretanto, mudaram de partido: Rozin deixou o PSOL e hoje está no Podemos e Emílio Lessa trocou o PP pelo PSDB.

E o enfrentamento em família?

Os irmãos Tonho Lessa e Emílio Lessa são objetivos e mostram estar afinados em um ponto: "Pensamos diferente a política", dizem os dois. E afirmam que, em família, a relação é de respeito e de amizade.

"Eu moro em São Lourenço e vivo os problemas do município. Cada um foi escolhido pelo seu partido e tem direito de buscar aquilo que lhe parece certo", resume o atual vice-prefeito. "Meu trabalho é voltado através do diálogo com os moradores da zona urbana e zona rural, com os empresários, com o objetivo de construir ideias e propostas que possam fazer a diferença na vida das pessoas", argumenta Emílio Lessa. São as justificativas para terem descartado a possibilidade de formar dupla e concorrerem como prefeito e vice.

BeFunky-collage (15)

Conheça os candidatos e as propostas para retomada da economia

- Carmem Rosane Roveré (PSB) - 40
Carmem Rosane Morais Roveré, 57 anos
Natural de São Lourenço
Vereadora
Vice: Gabriela Freitas (PSB), 20 anos, cozinheira
Sem coligação

* As principais estratégias para gerar emprego e renda serão a realização de cursos profissionalizantes, a criação dos programas Jovem Empreendedor e Primeiro Emprego e a estruturação do Distrito Industrial, com objetivo de buscar a instalação de novas empresas. "Vamos desburocratizar a emissão de alvarás, cuidar do setor turístico e gerar oportunidades e incentivo para os nossos agricultores", garante, com a experiência de quem cumpre o sexto mandato como vereadora.

As medidas para aquecer a economia local serão adotadas tanto no interior quanto na cidade para fazer a renda circular e desenvolver São Lourenço do Sul. "Queremos cuidar das pessoas e gerar oportunidades para todos".

 - Emilio Lessa (PSDB) - 45
Emilio Augusto Becker Lessa, 59 anos
Natural de São Lourenço do Sul
Servidor público estadual
Vice: Guilherme Soares (PSDB), 24 anos, vendedor
Sem coligação

* O olhar estará direcionado à condição das estradas, pontes e pontilhões, que ganharão patrolamento e manutenção periódica. "Teremos a atitude e o compromisso de resolver estes problemas que afetam o escoamento da nossa produção e o desenvolvimento da cidade", sustenta.

Ao falar sobre as incertezas do setor pesqueiro, o candidato garante que a categoria será ouvida, com objetivo de construir propostas benéficas aos trabalhadores. Ao comentar as consequências da Covid-19, Emílio Lessa adianta que soluções e alternativas para o crescimento da economia, com geração de emprego, serão construídas através de diálogo com os empresários. "Nós acreditamos que mesmo com a pandemia é possível fazer a diferença para fomentar os investimentos na zona urbana e rural".

- Márcia Lucas (PT) - 13
Márcia Eliza Lucas Ferreira, 57 anos
Natural de São Lourenço do Sul
Vereadora
Vice: Ellemar Wojahn (PT), 64 anos, aposentado
Sem coligação

* Ao mencionar ações dirigidas ao bom andamento das atividades dos pescadores artesanais e à cobrança junto ao governo federal para o pagamento do seguro-defeso, a candidata fez questão de enfatizar que sua família tem origem na pesca e, como vereadora, atuou em defesa dos trabalhadores no Fórum da Lagoa dos Patos, por exemplo.

"No Legislativo apoiei o repasse de verbas da Câmara ao Executivo para minimizar o impacto da forte estiagem. Como prefeita, não será diferente", assegura. A população pode esperar uma gestão ativa, que fomentará o turismo como indutor da economia no pós pandemia - promete. "Nossa gestão terá um olhar prioritário para o desenvolvimento econômico, emprego e renda. Vamos fazer a diferença na vida da nossa comunidade, mudando para melhor nosso município".

- Rozin (Podemos) - 19
Adelar Bitencourt Rozin, 48 anos
Natural de Chiapetta
Advogado
Vice: Tenente Patrícia (Podemos), 47 anos, policial militar
Sem coligação

* Até o fechamento desta edição, o candidato não havia respondido ao Diário Popular.

 - Rudinei Härter (PDT) - 12
Rudinei Härter, 55 anos
Natural de São Lourenço do Sul
Prefeito
Vice: Cleo Uarthe (PDT), 71 anos, contador
Coligação: PDT, PL e PSL

* O chefe do Executivo assegura que o novo governo também será marcado pela busca conjunta de soluções com as entidades do município, no enfrentamento de reflexos econômicos. Ao mesmo tempo que se comprometeu em ampliar o programa de irrigação e açudagem, Rudinei Härter lembrou que, só neste ano, mais de 350 açudes e bebedouros foram abertos.

Para os pescadores, dois projetos estão nos planos: a criação da feira do pescado durante a safra e a construção de um novo trapiche margeando o arroio São Lourenço; bom para a pesca e para o turismo.
Alias, quando o tema é turismo, o candidato à reeleição lembra da implantação de uma série de protocolos que deu a São Lourenço o selo Save Travels (Viagens Seguras), através do Conselho Mundial de Viagens e Turismo, um visto Global de segurança e higiene em relação à Covid-19. "Estamos entre os cinco destinos turísticos do Brasil e entre 99 do mundo com este selo".

 - Tonho Lessa (MDB) - 15
Carlos Antônio Becker Lessa, 61 anos
Natural de São Lourenço do Sul
Vice-prefeito e advogado
Vice: Dari Pagel (PP), 67 anos, vereador e ex-prefeito
Coligação: MDB, PP e PRTB (Juntos somos + fortes)

* A recuperação da economia promete ser a primeira medida tomada a curto prazo e integra um cronograma pré-estabelecido implantado a partir de 16 de novembro, caso confirmada a vitória.Entre as ações de governo, Tonho Lessa destacou a parceria com a iniciativa privada e setores da sociedade civil organizada, para realizar a programação de verão; a criação da Secretaria do Desenvolvimento Rural e Pesca, além de atenção especial ao setor agropecuário e da recuperação do pequeno, médio e grande empresários. 

"Iremos buscar revitalizar estes setores que foram tão diretamente abalados pelo impacto da Covid-19", reforça. "Precisamos auxiliar na geração de emprego e renda, pois temos uma população trabalhadora e muito disposta a buscar seu sustento. Cabe ao gestor público não atrapalhar o cidadão que quer e precisa manter sua dignidade".

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados