Pandemia

Funcionários da Eterpel devem ficar sem salários na sexta-feira

Direção da autarquia aguarda liberação de recursos da prefeitura; Câmara ainda não colocou a transferência em votação

27 de Abril de 2021 - 19h12 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Redução do número de viagens diárias é uma das principais causas para crise financeira  (Foto: Jô Folha - DP)

Redução do número de viagens diárias é uma das principais causas para crise financeira (Foto: Jô Folha - DP)

Os 48 servidores e os quatro Cargos em Comissão (CCs) da Empresa do Terminal Rodoviário de Pelotas (Eterpel) não devem receber os salários de abril nesta sexta-feira (30), como o previsto. A autarquia vem acumulando déficit devido à redução no número de viagens em decorrência da pandemia e aguarda verba da prefeitura para poder cobrir a folha de pagamento. A Câmara de Vereadores, entretanto, ainda não apreciou o projeto encaminhado pelo Executivo, para obter autorização para o repasse.

Na manhã desta terça-feira (27), foram nomeados os relatores: Michel Escalante, o Michel Promove (PP), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e Rafael Dutra, o Barriga (PTB), na Comissão de Orçamento e Finanças (COF). Os pareceres devem ser apresentados na próxima reunião das Comissões, possivelmente na semana que vem. Só então, após serem apreciados e aprovados, a proposta estará em condições de ir à votação em plenário.

"A nossa situação é muito delicada. Posso dizer que é dramática", afirma o diretor-presidente da Eterpel, Cláudio Montanelli. E além de admitir que não possui dinheiro em caixa para o pagamento dos salários, explicou que analisa quais as alternativas possíveis para conseguir liberar ao menos o valor do vale-alimentação aos funcionários. "Tá tudo bem difícil", reitera. Mesmo que os salários sejam pagos, nos próximos dias, as cifras correspondentes ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) correm risco de não ser depositadas.

Relembre

A Eterpel registra um déficit de cerca de R$ 2 milhões, consideradas a queda na receita e dívidas antigas. A expectativa, portanto, é de que a prefeitura efetue repasse de aproximadamente R$ 587 mil; suficientes para quitar três folhas de pagamento. Em 2020, a liberação de aporte financeiro também foi necessária. Para poder realizar a transferência, o Município precisa do aval da Câmara.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados