No vermelho

Eterpel irá receber repasse da prefeitura na próxima semana

Câmara de Vereadores aprovou a liberação de R$ 587 mil, por unanimidade, na manhã desta quinta-feira

06 de Maio de 2021 - 20h48 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Eterpel tem acumulado déficit mensal de aproximadamente 105 mil (Foto: Jô Folha - DP)

Eterpel tem acumulado déficit mensal de aproximadamente 105 mil (Foto: Jô Folha - DP)

Média de viagens por dia não chega a 1,2 mil; em janeiro de 2020, antes da pandemia, o fluxo diário era de três mil passageiros (Foto: Jô Folha - DP)

Média de viagens por dia não chega a 1,2 mil; em janeiro de 2020, antes da pandemia, o fluxo diário era de três mil passageiros (Foto: Jô Folha - DP)

Até a próxima semana, a Estação do Terminal Rodoviário de Pelotas (Eterpel) já deve contar com o reforço de R$ 587 mil no caixa. O repasse emergencial, que será efetuado pela prefeitura, foi aprovado por unanimidade pela Câmara de Vereadores, na manhã desta quinta-feira (6), marcada por três sessões ordinárias. O recurso será suficiente para quitar os salários de abril, maio e junho; incluídos os valores de vale-alimentação, vale-transporte e pagamentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Ao longo da pandemia, a Eterpel tem acumulado prejuízos devido à redução de viagens. Em janeiro de 2020, a média diária de passagens alcançava os três mil. Em maio de 2021, o fluxo segue bem abaixo do normal: não chega aos 1,2 mil passageiros por dia. "Hoje estamos com uma queda de 63% nas vendas, mas acreditamos que com o tempo vá melhorar", projeta o diretor-presidente da autarquia, Cláudio Montanelli. Enquanto isso, o déficit mensal é de aproximadamente R$ 105 mil.

Para poder transferir a verba, o Executivo aguarda a chegada da documentação da Câmara de Vereadores para que a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) sancione e encaminhe para publicação no Diário Oficial do Município (DOM). A decisão passará, então, a valer no dia seguinte - destaca o secretário de Governo, Fábio Machado.

Na próxima semana, outros projetos com urgência

As outras três propostas encaminhadas em regime de urgência pela prefeitura ao Legislativo devem ser apreciadas na próxima semana. Antes, ainda precisarão passar pelas Comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e de Orçamento e Finanças (COF).

Os projetos envolvem o parcelamento de dívida de R$ 119,3 milhões com a CEEE até o ano de 2041, a contratação temporária de 102 profissionais como médicos e condutores de ambulância e o subsídio para o Consórcio do Transporte Coletivo de Pelotas, que garantiria o reequilíbrio financeiro das empresas - afetadas pela redução de passageiros e pelo aumento de custos, como as consecutivas altas dos combustíveis -, sem reajuste da tarifa aos usuários.

Dia de homenagens ao vereador Paulo do Sítio

A primeira das três sessões realizadas, nesta quinta, foi marcada por homenagens ao vereador Paulo Rogério Santos, o Paulo do Sítio Floresta (PSDB), que perdeu a vida para Covid-19 na madrugada do último domingo (2). O líder do governo na Câmara, Marcos Ferreira, o Marcola (PTB), propôs que o nome do colega possa ser incorporado à legislatura 2021-2024; período em que o líder comunitário, que militava por melhorias no Sistema Único de Saúde (SUS), cumpriria o primeiro mandato.

Ao fazer pronunciamento oficial como titular da cadeira do PSDB, no lugar de Paulo do Sítio, Jone Soares afirmou: "Ele era um homem simples, trabalhador, um grande lutador. É um exemplo pra mim, um homem por quem eu tinha respeito e admiração e as portas continuarão abertas para o Sítio". Aos 31 anos, o novo parlamentar assegurou: "Prometo honrar cada pessoa".

Na próxima semana, os vereadores deverão escolher quem será o novo relator da Comissão de Ética; posição até então ocupada por Paulo.

No aguardo de projetos que agora deverão partir do Executivo

* Para criação de cartões com créditos para compra de alimentos: A vereadora Miriam Marroni (PT) retirou o projeto de lei que começava a tramitar na Casa, para criação do Programa Municipal de Combate à Fome e à Extrema Pobreza. Através da iniciativa, a Secretaria de Assistência Social implantaria um sistema com distribuição de cartões com crédito para que as famílias em vulnerabilidade social passassem a realizar compras em estabelecimentos da própria cidade, ao invés de acessarem as cestas básicas já prontas.

"Como a prefeitura se comprometeu em encaminhar projeto neste sentido para Câmara, retiramos o nosso projeto em função da desconfiança de vício de iniciativa", explica a vereadora. Miriam argumenta que através dos cartões, a comunidade passaria a ter autonomia em escolher os produtos necessários, a verba giraria dentro da economia de Pelotas e também não precisaria existir logística para distribuição das cestas básicas, em geral, adquiridas de outras cidades.

* Renda delas: Com a sinalização de que o Executivo deve instituir política para criação de renda mínima para mulheres em situação de vulnerabilidade, chefes de família, as vereadoras - lideradas por Fernanda Miranda (Psol) - pediram o arquivamento do projeto de lei para criação do programa Renda Delas. As parlamentares reuniram-se com a prefeita Paula Mascarenhas para defender a proposta e aguardam dados de relatório municipal que irá confirmar a viabilidade.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados