Eleições 2020

Debate do DP é marcado por provocações e propostas

Em pouco mais de uma hora e meia, os candidatos à prefeitura de Pelotas Ivan Duarte e Paula Mascarenhas trocaram farpas e falaram sobre o futuro da cidade

27 de Novembro de 2020 - 00h34 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Carlos Queiroz 9548348

Candidatos confrontaram propostas para a cidade e diferentes entendimentos sobre cuidados com a pandemia (Foto: Carlos Queiroz - DP)

O eleitorado de Pelotas teve mais uma oportunidade para confrontar propostas dos candidatos à prefeitura de Pelotas, na noite desta quinta-feira (26). Em pouco mais de uma hora e meia, Paula Mascarenhas (PSDB) e Ivan Duarte (PT) participaram do debate promovido pelo Diário Popular. Entre provocações e cutucadas, falaram - sem a pressão do cronômetro - sobre três temas principais: segurança pública, alagamentos e saneamento básico e os reflexos da pandemia.

Após, a apresentação inicial em 2,5 minutos para cada um, a tucana foi a primeira a lançar questionamento e colocou na mesa as discussões sobre projetos para segurança pública. Em 20 minutos, os dois dividiram-se em posições absolutamente distintas.

Paula enalteceu o projeto Pelotas Pacto Pela Paz, apresentou índices de violência que teriam caído no município como resultado de ações integradas e falou que o governo passou a desenvolver 30 projetos de prevenção direcionados a famílias em situação de vulnerabilidade social, além de medidas dirigidas a públicos como os apenados. "A segurança é com o município, sim. Com o Pacto Pela Paz estamos combatendo o crime e transformando vidas", sustentou.

Ivan Duarte foi incisivo ao rebater a prefeita. Por mais de uma vez, afirmou que o Executivo teria agregado vários projetos e iniciativas que já existiam, inclusive com a participação de outros órgãos e instituições, e dado um nome para fazer marketing. "O abandono dos bairros, sim, gera violência", cutucou. "É preciso investir igualitariamente e não só onde já tem inclusão". O petista ainda contestou a apresentação das estatísticas e defendeu que a queda nos homicídios, por exemplo, estaria associada à redução da guerra entre gangues rivais.

Com tema proposto pelo DP

Os alagamentos e as recorrentes enchentes em Pelotas foram a provocação feita pelo Diário Popular, no terceiro bloco do debate. Mais uma vez, Paula e Ivan se colocaram de lados opostos e, como era de se esperar, a discussão sobre a Parceria Público-Privada (PPP) do Sanep retornou à pauta; para além das inundações.

A prefeita destacou os investimentos que têm sido realizados a partir da arrecadação com a taxa do lixo, mencionou obras em drenagem e a construção de cem quilômetros de rede de água e admitiu defender uma PPP ou a locação de ativos "para acabar com a maior mazela que é o esgoto a céu aberto na periferia". Paula Mascarenhas também fez questão de lembrar da derrota do projeto do governo na Câmara, mas para cutucar o opositor. "Era uma proposta que em cinco anos teria universalizado a coleta e o tratamento de esgoto, para beneficiar os cidadãos da periferia, mas por vereadores como o senhor não podemos realizar o projeto".

Ivan Duarte se manteve firme na mesma postura sustentada durante o período como parlamentar e repetiu por várias vezes a expressão "Sanep público". O candidato a prefeito voltou a enfatizar - como em outras oportunidades - o estudo elaborado por técnicos e engenheiros do Sanep que demonstrariam a possibilidade de universalização do saneamento básico em um período de nove anos, sem a necessidade de instituir novas taxas ou de firmar contratos com empresas privadas. "É uma questão de saber priorizar. Saber onde alocar o dinheiro".

Em mais um bloco com tema livre

No quarto e último bloco com perguntas disparadas entre os candidatos, quem lançou a indagação foi Ivan Duarte.

O petista fez leitura de trechos da nota técnica emitida nesta quinta (26) pelo Comitê Covid-19 da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), em que os pesquisadores sugerem ação imediata do governo frente à expansão de casos e a lotação de leitos, e não poupou críticas a decisões adotadas pela prefeitura ao longo dos oito meses de pandemia. O candidato também falou na importância do rastreamento.

"Precisamos perseguir o vírus. Precisamos investir em busca ativa para testagem. A contratação emergencial para ampliar as equipes das Unidades Básicas deveria ter sido feita". E, para encerrar, Ivan lançou uma das principais críticas de todo a campanha eleitoral: "Posso dizer que a candidata Paula prevaleceu sobre a prefeita", alfinetou, ao cobrar a falta de medidas mais restritivas para conter a disseminação do coronavírus.

A prefeita também trouxe argumentos apresentados ao longo dos oito meses de pandemia e garantiu que tem procurado manter o equilíbrio entre as medidas para preservação de vidas e a manutenção de atividades econômicas. Paula Mascarenhas mencionou o crescimento de casos em todo o Estado, no Brasil e no mundo e mencionou os últimos decretos publicados pela prefeitura, como o desta quinta-feira, que prevê o novo fechamento de espaços públicos como praças, parques e as praias do Laranjal. 

Nas próprias despedidas, a prefeita voltou ao tema da Covid-19 e afirmou que é, justamente, por procurar manter o equilíbrio que tem "apanhado" dos dois lados: dos empresários e do Comitê da UFPel. "Mas temos mantido serenidade e bom senso, com a vida em primeiro lugar, sem se desconectar da realidade". 

Propriedade intelectual do Jornal Diário Popular

Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados