Eleições 2020

Cidadania e PP se dividem sobre segundo turno

Rachados desde o período pré-eleitoral, partidos se fragmentam entre apoiadores da reeleição de Paula e grupos que resistem a sinalizar voto

20 de Novembro de 2020 - 20h01 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Partidos eram os responsáveis pela composição da chapa encabeçada por Fetter Jr. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Partidos eram os responsáveis pela composição da chapa encabeçada por Fetter Jr. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Fora da disputa à prefeitura de Pelotas após terminarem em terceiro lugar com a chapa Fetter Jr. e Antônio Carlos Brod, PP e Cidadania enfrentam agora mais um episódio das divisões internas que marcaram as prévias da eleição. Enquanto as direções das duas siglas se abstêm de definir apoio a uma das candidaturas do segundo turno - Paula Mascarenhas (PSDB) e Ivan Duarte (PT) -, membros das Comissões Executivas e outros integrantes pedem publicamente o voto na candidata tucana.

Nesta sexta-feira (20), a discordância no Cidadania chegou à direção estadual da legenda. Em documento enviado ao diretório municipal, o presidente César Baumgratz, o secretário-geral Elvio Santos e a deputada Any Ortiz se manifestaram contra a posição de neutralidade anunciada por Valdir Duarte, dirigente local. “A política exige posição e diante das duas candidaturas na disputa, o diretório estadual reitera o apoio e indica o voto na candidatura da prefeita Paula Mascarenhas”, diz a carta.

No mesmo sentido, candidatos a vereadores - incluindo o eleito Paulo Coitinho - também divulgaram nota de repúdio. O grupo afirma não ter participado de discussão sobre o resultado da eleição e definição de rumo no segundo turno.

Para Duarte, a posição quanto a apoiar ou não candidaturas cabe à Executiva Municipal. Para ele, a pressão estadual é “um golpe” diante do que considera falta de suporte no primeiro turno. “Não ajudaram em nada. Mandaram muito pouco de ajuda e tivemos que fazer uma distribuição para os que menos tinham. E não entendo a posição do vereador (Coitinho). Estamos chamando desde segunda para conversar.”

Dois PPs

Assim como ocorre desde agosto, o PP se mantém dividido como se fossem dois partidos dentro do mesmo. Também nesta sexta, filiados ligados ao governo e ao vereador e presidente afastado Roger Ney divulgaram carta manifesto reiterando apoio à reeleição da prefeita. “Decidimos manifestar integral adesão à candidatura Paula Schild Mascarenhas à Prefeitura Municipal de Pelotas, como já o fizemos intensamente no primeiro turno.”

Entretanto, a presidente em exercício encaminhou com parte da Executiva a orientação pela liberação do voto dos filiados. Segundo Elizabeth Marques Dias, a posição dos 46 progressistas que assinaram documento em favor da tucana não representa a vontade da legenda. “Cada filiado vai fazer sua escolha. Tínhamos uma proposta que não foi aceita pela população, então manteremos a independência e não seremos coadjuvantes”, argumenta.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados