Editorial

Um tema recorrente e muito importante

07 de Maio de 2021 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Em tempos de pandemia, como a do coronavírus - a maior crise sanitária da história mundial recente – o simples ato de lavar as mãos tornou-se essencial. É uma das medidas mais eficazes na prevenção ao letal vírus da Covid-19. Muito além da higiene, pode representar – sem exageros – a sequência da vida.

Apesar da comoção a respeito da higienização das mãos, é uma atividade simples, muitas vezes orientada desde a infância e incentivada também pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Não é de agora que a prática evita doenças, dentro ou fora do ambiente hospitalar. Como forma de estimular a lavagem das mãos, a OMS, inclusive, instituiu o Dia Mundial da Higienização das Mãos, celebrado esta semana. E tal celebração foi em forma de um pedido de ajuda: o órgão fez um apelo para a necessidade de reduzir desigualdades no acesso a uma boa higiene das mãos e outras medidas de prevenção e controle de infecções nos países mais pobres.

Lavar as mãos é, sim, algo simples, mas infelizmente não é um privilégio de todos. E essa exclusão engloba até mesmo países que não estão na lista dos mais vulneráveis. Pensando nisso, a OMS lançou um portal de monitoramento que ajudará esses lugares que apresentam maiores dificuldades a identificarem as falhas e a resolverem esse problema tão grave, em especial ao longo da pandemia, quando o tema ganhou força.
A organização trata a higienização como um sério desafio a qualquer momento e salienta que a Covid-19 evidenciou a importância da atividade na redução dos riscos de transmissão, como parte de um pacote abrangente de medidas preventivas.

Os principais desafios aos locais mais carentes para avançar na higiene são a falta de recursos financeiros e a pouca infraestrutura. E as infecções adquiridas nos cuidados de saúde afetam todo ano milhões de pessoas em todo o mundo. Ao menos metade desses contágios poderia ser evitada, conforme a OMS, com a implementação de programas eficazes, incluindo estratégias de melhoria da higiene das mãos.

O acesso à água e a um simples sabonete precisa ser urgentemente expandido sob o risco de a crise sanitária manter-se firme em escalas globais, e sem trégua aos países mais comprometidos. É vital ter atenção a essa prática e replicá-la. Não deixe de acessar este privilégio.


Comentários