Editorial

O futebol durante a pandemia

13 de Julho de 2020 - 08h01 0 comentário(s) Corrigir A + A -

autorização do retorno do futebol no Rio Grande do Sul, anunciada pelo Governo do Estado na última quinta-feira, não será com festa e alegria distribuídas entre clubes e torcedores. Ao contrário, o clima que ainda estará presente será de receio e dúvida de que essa decisão foi mesmo a mais acertada, exatamente no momento em que o estado vive o seu pior momento, desde o início da pandemia.

Não há como fechar os olhos ao que vem acontecendo em outros estaduais que tentaram retomar o futebol, e não imaginar situações semelhantes por aqui, em breve. A torcida, é claro, é para que tudo corra bem, mas não dá para ignorar o cenário atual no território gaúcho.

O caso mais grave aconteceu em Santa Catarina, onde a Federação cancelou na tarde do último sábado o confronto das quartas de final entre Avaí e Chapecoense, em Florianópolis, e anunciou o adiamento de outros três jogos - Marcílio Dias x Criciúma, Brusque x Joinville e Figueirense x Juventus. Tudo porque a Superintendência de Vigilância em Saúde Estadual confirmou 14 casos de Covid-19 no elenco e na comissão técnica da

Chapecoense, além da infecção de Moisés Egert, técnico do Marcílio Dias; Patrick, volante do Figueirense; dois jogadores do Criciúma; e dois atletas e dois membros do departamento médico do Joinville.

As federações estão adotando todas as medidas de segurança possíveis para que as disputas ocorram com tranquilidade aos elencos, mas é impossível garantir que nenhum caso vá surgir ao longo do caminho e levantar novamente o questionamento: a hora de retornar com o futebol no Rio Grande do Sul é agora?


Comentários