Opinião

O exame que salva vidas

11 de Novembro de 2019 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

A prevenção deveria durar o ano inteiro, mas é neste mês que o tema ganha força junto à população masculina. Com o Novembro Azul, cuja origem remete a 2003, na Austrália, para chamar a atenção mundial, o Brasil tenta popularizar informações importantes em relação ao câncer de próstata.

Trata-se do tipo de câncer mais frequente entre os homens no país, depois do de pele. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), embora seja uma doença comum, por medo ou desconhecimento, muitos homens ainda preferem não conversar sobre o assunto. Por isso o órgão vem investindo forte, nos últimos anos, em informações para que o público-alvo compreenda melhor o tema e decida o que é melhor para a sua saúde.

Entre os fatores que podem aumentar o risco de ter câncer de próstata, a idade é um deles, pois o risco aumenta com o passar do tempo. No Brasil, de cada dez diagnosticados com a doença, nove têm mais de 55 anos. Histórico na família - homens cujo pai ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos - também serve de alerta.

Outros pontos passaram a ser destacados pela Medicina, após estudos recentes. Entre eles, o sobrepeso e a obesidade. Assim, homens com peso corporal elevado também devem se preocupar.

A prevenção está ao alcance de todos. Adotar práticas saudáveis ajuda a diminuir o risco, inclusive de outras doenças. Neste Novembro Azul, também nunca é demais lembrar. Aqueles com dificuldade de urinar, demora para começar e terminar de urinar, com sangue na urina, diminuição do jato de urina e que tenham necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite devem procurar orientação médica. Realizar o exame também pode ajudar a identificar o problema no início, o que aumenta muito a chance de sucesso no tratamento.


Comentários