Artigo

Viver é a melhor opção - Plante flores e seja um jardineiro paciente...

30 de Setembro de 2020 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por: Valéria Mülling Gomez, psicóloga

A campanha Setembro Amarelo tem o objetivo de alertar a população sobre o suicídio, um problema de saúde no Brasil e no mundo. Infelizmente suicídios acontecem todos os dias e, devido à dor familiar e dos amigos diante da morte, ocorre a dificuldade de nos atualizarmos na cultura.

O artigo não tem a pretensão de realizar uma análise profunda, sim de refletir com o propósito de prevenção e valorização da vida. A ideia, pensamento ou ação de machucar-se ou de autoflagelo, são sintomas de um transtorno, que precisa ser diagnosticado, para ser tratado.

A pessoa, ao pensar em interromper sua trajetória, revela um sintoma, que pode estar relacionado ao transtorno, ou dor emocional, decorrente de perda ou conflitos não resolvidos. O indicado nesses casos é o acompanhamento profissional.

Ações ou comportamentos que culminam em uma ação de tentativa ou de suicídio também remetem a uma questão sociológica, pois existem situações, que podem desencadear a tentativa de suicídio. No Brasil, é alta a incidência em jovens por conta de uma insegurança em relação ao futuro e sentir medo de "não dar conta", são alguns dos fatores que podem elevar os níveis de ansiedade e podem desencadear transtornos.

Outro fator indutor é o abuso de substâncias, como o álcool. A internet, por seu turno, é um espaço, onde pessoas sem formação especializada e com preconceito, podem confundir ao invés de ajudar. Porém, vemos também profissionais de saúde e religiosos, que promovem a busca pelo sentido da vida.

A educação é uma estratégia vigorosa e espaço fundamental na prevenção de suicídio. Precisamos avançar, para além do diagnóstico: as escolas e universidades poderão pensar em áreas e projetos de convívio social; promover iniciativas em nível coletivo e solidário, para adolescentes e jovens. As instâncias acadêmicas podem e devem debater sobre o período de formação, que é um tempo de crises, desafios e de superação.

A prevenção ao suicídio é questão de saúde pública e, quanto mais se promover socialmente um serviço preventivo-terapêutico, maior a probabilidade de preservarmos a vida. 

Viver é como plantar flores: há tempo de semear, crescer e florescer. Cuide bem do seu jardim, que é a sua vida.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados