Editorial

Vacine-se contra a gripe

04 de Abril de 2019 - 08h13 0 comentário(s) Corrigir A + A -

As doses das vacinas contra a gripe estarão disponíveis em Pelotas em menos de uma semana. Na próxima quarta-feira, terá início a campanha de imunização de uma doença que ainda é tratada pelas pessoas como algo menor, de pouco risco, possível de ser curada muitas vezes em casa, com receitas caseiras. Mas o cenário, a cada proximidade do inverno, mostra exatamente o contrário. Fazer a vacina, por isso, é muito importante, principalmente a grupos vulneráveis.

Os números do ano passado ajudam a ilustrar o quanto a população deixou de se proteger. Em Pelotas, 68,94% do público-alvo buscou a imunização. A meta, contudo, era chegar a 90%. Também o Rio Grande do Sul ficou distante do que foi projetado - atingiu 82,2%.

A falta de interesse pela vacina, de cuidados com a saúde e de preocupação com as consequências disso explica a pouca procura pelos postos. E para quem ainda acredita que as doses não são importantes, vale lembrar o relatório do Centro Estadual de Vigilância em Saúde de 2018: 63 pessoas morreram por conta da gripe em todo o Rio Grande do Sul, aumento de 31% em relação a 2017.

Não se trata de fazer alarmismo. O que está discussão é o trabalho de prevenção de uma doença perigosa, embora não seja, muitas vezes, tratada dessa forma. Para alguns públicos, como crianças, gestantes e idosos, ela tem consequências maiores.

Assim, a partir da próxima quarta-feira, pais de crianças a partir de seis meses até seis anos, e gestantes em qualquer período gestacional podem se programar, ir às unidades e se vacinar. Cada dose garante proteção contra três tipos de vírus Influenza: A (H1N1), A (H3N2) e B.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados