Artigo

Tempo de resgate

27 de Março de 2020 - 07h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por Laura Tonial - advogada e membro da Academia Pelotense de Letras

Vivemos um novo tempo que chamarei de tempo de resgate de relações entre pessoas e destas com o mundo e com Deus.

De uma hora para outra nosso universo mudou, assim como mudaram as relações. Estamos encerrados e quase que obrigados a refletir acerca do sentido de nossa existência e da razão de vivermos esses momentos tão difíceis.

Tantos alertas há muito para a humanidade! E a soberba humana reinando acima de tudo e de todos! Por que deixamos de ser humanos? Por que só o dinheiro e o poder tomaram nosso tempo? Por que exigimos nossos direitos, deixando de lado os deveres de bom amigo, bom pai, boa mãe, bom irmão?

Quem sabe foi nossa irresponsabilidade que levou à situação atual? De repente nos demos conta de nossa fragilidade! Precisamos, por vezes, rir e fazer piadas para não chorar.

Terá esse chamado, essa sacudida - talvez melhor chamar de um encontrão - sido essencial? Essencial diante do egoísmo, da soberba, do excesso de valorização do momento presente, do luxo, do prazer e do poder!
Ou passamos a olhar o outro de uma forma diferente, mais humana, mais cristã, e saímos melhores dessa situação ou sucumbiremos todos...

Deus tem um projeto para cada um de nós e disso nunca deveríamos ter esquecido! No entanto, o corre-corre da vida e a ânsia por adquirir mais e mais fizeram com que muitos quase abandonassem suas famílias, os amigos, os gestos de solidariedade e a compaixão.

Importante pensar em nossa missão neste momento, seja com a família; com os mais necessitados - espiritual e fisicamente; com os mais idosos, dando-lhes atenção, carinho e respeito; com a natureza e, sobretudo, envidando todas as nossas forças para descobrir e realizar o projeto de Deus para a nossa vida.

É tempo de redescobrir as novas regras de relacionamento!

Ouço amigos comentando, quer em redes sociais, quer em telefonemas, o quanto eram bons seus encontros, os beijos e os abraços... Por vezes só damos valor ao que não mais possuímos.

Mas o mundo está mais humanizado. Impressionam as manifestações de solidariedade em vários lugares, desde músicos cantando em suas varandas, para alegrar os idosos, doentes e moribundos, até jovens colocando-se à disposição para fazer as compras de quem precisa, passando pelo fornecimento de comidas, entre muitos outros gestos de bondade e compaixão.

Estamos fechados em nossas casas, mas olhando mais para os olhos do outro, conversando mais entre os da família, trabalhando menos. Certo que nem todos, já que alguns ainda não se descolaram de seus smartphones em beneficio de uma brincadeira e um diálogo com os filhos. Enfim, ainda negam sua presença.

É tempo de solidariedade e minha esperança é que renasçamos melhores, com o amor ocupando lugar de destaque e o Espírito de Deus habitando nossos corações.

Minha certeza e minha esperança é que iluminemos o mundo com nossa luz e espalhemos o bem em todos os ambientes nos quais convivemos, fazendo o convite para que sejamos instrumento desse resgate tão essencial à humanidade.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados