Editorial

Quase tudo encaminhado

16 de Setembro de 2020 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Encerra hoje o período estabelecido pela Justiça Eleitoral para as convenções que definem os rumos dos partidos nas disputas à prefeitura e Câmara de Vereadores. Em tese, no fim do dia, os pelotenses deverão conhecer os nomes dos candidatos que se colocarão à disposição para liderar a cidade a partir de 2021 com o principal desafio de encontrar saídas para a crise sanitária e econômica.

Até o final da tarde de ontem, oito eram as possíveis candidaturas ao Executivo. Porém, algumas destas se mantinham ainda como possibilidades, enquanto outras possuíam apenas o principal nome, sem a consolidação de vice. Seja por questões estratégicas dentro do jogo político ou, até, por disputas que chegam aos tribunais, partidos importantes para a formação de coligações permaneciam com parte de seus movimentos indefinidos.

Mesmo que, por enquanto, parte das pessoas continuem desatentas à eleição, não pode ser considerado como algo positivo que se chegue ao último dia de convenções sem que se conheça, de fato, quem é quem. Governar uma cidade com o tamanho e a importância de Pelotas exige, mais do que sintonia política, planejamento e organização. Itens que, frente a articulações emperradas, podem ser colocados em segundo plano.

E, certamente, mesmo o pelotense menos engajado com a eleição neste momento espera ter pela frente uma campanha de alto nível. Para além das alianças e chapas, o que a cidade espera são bons candidatos, com propostas factíveis e capazes de recuperar rapidamente tudo o que ficou para trás com a crise de 2020.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados