Editorial

O IPVA deixou de ser parcelado

05 de Novembro de 2019 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Nenhum assunto vem sendo tão comentando desde ontem no Rio Grande do Sul quanto o anúncio, feito pelo governo do Estado, das alterações na fórmula de pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) 2020. Repercute, principalmente, o fato de ter sido retirada a possibilidade de parcelamento e excluídos os descontos pela antecipação, de até 3%.

A mudança mexe com a cabeça das famílias, que nessa época do ano já fazem os cálculos das obrigações e dos compromissos que se aproximam nesses últimos 60 dias de 2019. Compras de Natal e de material escolar, viagens de férias, pagamento do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU). A organização financeira dos lares, sempre a mesma entre dezembro, janeiro e fevereiro, ganhou um ingrediente inesperado e salgado.

Um dos piores reflexos que a medida anunciada pelo Estado pode ter, fora do âmbito doméstico, é reduzir a capacidade de consumo das pessoas no momento mais aguardado pelo comércio, também impactado por um ano considerado fraco em vendas. Algo que pode acontecer a partir dos cálculos que cada trabalhador-motorista passará a fazer para quitar a obrigação com o imposto já no primeiro mês do ano. É impossível, desde ontem, não pensar de onde virá o dinheiro para saldar o IPVA 2020 no novo formato.

E o que dizer, então, do funcionalismo público estadual, com os salários atrasados em cerca de dois meses, sem previsão de receber o 13º salário em dia, muitos com dívidas junto aos bancos?

O anúncio do governo do Estado busca auxiliar no reequilíbrio das contas, e, embora todas as argumentações, surpreendeu porque foi anunciado sem que o contribuinte tivesse mais tempo para se planejar. Terá agora que pagar uma conta alta.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados