Editorial

O inverno está chegando

13 de Maio de 2022 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Os serviços de meteorologia fazem o alerta: vem aí uma semana de frio intenso e atípico para o mês de maio. A previsão para o Rio Grande do Sul, a partir da próxima segunda-feira, é de possibilidade de neve e “chuva congelante”, o que ocorre quando a precipitação surge de forma normal, mas a água congela ao tocar a superfície.

Conforme apontam os meteorologistas do Climatempo, o fenômeno ocorrerá devido ao avanço de uma massa polar. A onda de frio pode ser, inclusive, a mais intensa do ano. Portanto, aqueles que hoje já sentem os efeitos das baixas temperaturas, devem se preparar.

Mas a grande questão aqui é voltar as atenções justamente àqueles que não têm a chance de se preparar. Uma estimativa da Secretaria de Assistência Social (SAS) de Pelotas aponta que o número de pessoas em situação de rua no município deve ficar entre 250 a 340 pessoas este ano. Na edição do dia 27 de abril, o repórter Lucas Kurz trouxe a informação de que no primeiro trimestre de 2022, a coordenação da Proteção Social Especial de Média Complexidade da pasta teve 242 usuários acessando os serviços públicos oferecidos. Já nas abordagens sociais do serviço especializado, nas ruas, foram cerca de 346 atendimentos.

O total de pessoas em situação de vulnerabilidade social aumentou devido ao cenário pandêmico dos últimos anos, período em que postos de trabalho foram fechados e o mundo mergulhou em uma crise econômica. Elas necessitam de auxílio durante todos os meses, mas os dias frios que se aproximam exigem mobilizações por parte do Poder Público e também da sociedade. É um momento em que grupos ligados à prefeitura e outros tantos independentes reforçam suas saídas às ruas para fornecer alimentos e agasalhos a quem mais precisa.
A SAS e a Defesa Civil iniciaram há um mês a arrecadação de peças para doação. São necessárias roupas masculinas, femininas, infantis, calçados, toalhas, lençóis e cobertas. E mesmo que os dias de temperaturas baixas previstos antes da chegada efetiva do inverno não perdurem, vale reforçar o quanto é importante oferecer ajuda a quem precisa sempre. Para espantar o frio, nada melhor do que um alimento, uma coberta quente e a agradável sensação de sentir-se abraçado. O calor humano, que vem do corpo e das atitudes, pode fazer a diferença.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados