Artigo

Módulo Miguel Curi Hallal

05 de Abril de 2019 - 08h50 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por Cláudio de Andrea - presidente do Conselho do G.E. Brasil

Em boa hora o Conselho Deliberativo do Grêmio Esportivo Brasil (GEB), na reunião de terça-feira, acatou a sugestão de alguns rubro-negros de se nominar a arquibancada norte de Módulo Miguel Curi Hallal.

O comprometimento de Miguel com as obras no estádio Bento Freitas é tocante, a ponto de que, se alguma tragédia acontecesse nas arquibancadas que foram demolidas, é certo que o principal responsável seria o Miguel.

Em nossa história patrimonial, muitos personagens se destacaram. Cheguei ensaiar a nominá- los, mas desisti em boa hora, pois fatalmente cairia na armadilha do inevitável esquecimento.

Tive o privilégio de algum tempo conviver com o Miguel nas lides de nosso clube. Quando entrei já estava lá o Miguel (carinhosamente chamado por Abelha), erigindo grande parte do patrimônio do estádio Bento Freitas.

O contato mais direto foi a partir da conquista do Torneio Seletivo em 1977, que com a consagradora vitória sobre nosso arquirrival nos habilitou a conviver com os principais clubes brasileiros, mas, para tanto, em tempo limitado tínhamos que dobrar a capacidade do estádio Bento Freitas.

Por tudo isto e muito mais a história, do Miguel junto ao seu clube de coração é enternecedora.

Inoculou o vírus em toda a sua família.

Não foi por acaso que recebeu o título de benemérito.

Várias vezes foi convidado a presidir o clube, mas nunca aceitou, criando até um bordão: “ Pega, velho que eu te ajudo”.

As obras eram a sua paixão.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados