Artigo

Mercado de trabalho, desemprego e saúde mental

04 de Dezembro de 2020 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por Paula Morgana, psicóloga, trata de assuntos relacionados à saúde emocional no trabalho

A pandemia que nos acompanha desde março ainda não tem previsão para terminar. A projeção para 2020 era de uma economia aquecida, com mercado de trabalho e vagas de emprego em crescimento. Porém, quando o ano efetivamente iria começar, fomos pegos de surpresa pela Covid-19. Vivemos uma crise sanitária e econômica sem precedentes na história recente: empresas foram proibidas de operar, comércios fechados, trabalhadores afastados dos seus ambientes de trabalho para o home office e um índice de desemprego alarmante, que, segundo o IBGE, chegou a atingir mais de 13 milhões de brasileiros.

As notícias não são positivas e a realidade de quem está em busca de um emprego é dura, exigindo muito da saúde mental. A dificuldade de se reinserir no mercado de trabalho pode levar ao desenvolvimento de uma série de questões ligadas à saúde emocional, como sentimentos de frustração, ansiedade, insegurança, desmotivação podendo chegar a depressão, muito em função da sensação de inutilidade gerada por um excesso cobrança de si e autocrítica. O maior desafio dos profissionais que estão desempregados no momento é manter a sua empregabilidade: conjunto de conhecimentos técnicos e comportamentais que o mercado de trabalho busca nos profissionais.

O grande diferencial na busca pelo próximo trabalho é a estratégia. O primeiro passo para isso é traçar um plano, definir prioridades. Utilize seus conhecimentos específicos, estude a situação atual, o mercado de trabalho e potencialize seu networking. Além disso, também é muito importante entender seus potenciais, buscar um emprego compatível com alguma aptidão irá aumentar as suas chances de sucesso. Revise seu currículo, faça cursos online focados em sua área de atuação, atualize seu linkedin, ao se candidatar a uma vaga avalie se realmente pode realizar as atividades que são exigidas. Se comunique de maneira adequada ao atender qualquer ligação, seja cordial ao enviar um e mail com seu currículo. Nas entrevistas, busque mostrar que você conhece sobre a empresa, seus negócios, sua cultura. Traga exemplos sobre o contexto, as ações e o resultados do seu último trabalho. Valorize o profissional que você é. Sendo assim, adote estas estratégias e busque sempre estar atento a como sua saúde mental pode estar nesses períodos difíceis. A ajuda de um profissional especializado pode ser necessária em muitos casos, podendo ser determinante para o desenvolvimento pessoal de cada um.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados