Editorial

Invasão de privacidade

16 de Fevereiro de 2019 - 07h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Em um ano, o projeto Caretas, criado pela Unicef junto ao Facebook, conseguiu interagir com quase um milhão de pessoas _ a maioria meninas _ sobre um dos problemas que mais causam constrangimento e danos à vida das jovens: o compartilhamento de conteúdo íntimo, principalmente o vazamento de imagens e vídeos.

Com o propósito de oferecer aos adolescentes um espaço seguro para falar sobre o assunto e chamar a atenção para os riscos do vazamento de imagens íntimas, a experiência virtual oferece a interação com Fabi Grossi, personagem fictícia que teve um vídeo íntimo vazado na internet pelo ex-namorado.

Foi, inclusive, através dessa experiência que a Unicef realizou pesquisa com as internautas, a fim de compreender melhor a relação delas com o sexting e o vazamento de imagens.

O estudo enviou um questionário a 14 mil adolescentes de 13 a 18 anos, do sexo feminino, e fez, também, análise qualitativa dos diálogos completos de cem delas, que interagiram com Fabi Grossi.

Dos resultados, vale destacar alguns pontos: 35% já mandaram fotos ou vídeos íntimos a alguém; mais de 70% já receberam nudes de alguém sem pedir; 80% já receberam pedidos de alguém para enviar imagens nuas; 55% disseram que essas práticas costumam ocorrer pelo aplicativo WhatsApp; 25% afirmaram que o sexting ocorre pelo aplicativo Snapchat; 35% não contaram a ninguém; 31% falaram para uma amiga; 16% compartilharam o problema com alguém da família e 2% conversaram com docentes na escola.

Outros dados também merecem atenção por parte de especialistas e da rede de convívio dessas jovens: 80% sentiram-se culpadas; 30% disseram ter se sentido tristes e sozinhas; 26% cogitaram fazer algum dano ao próprio corpo; 3,8% mudaram de escola e 1% mudaram de cidade.

Para a Unicef, fica evidente uma profunda desconfiança das jovens em discutir o problema com a família e a escola, já que elas preferem silenciar ou falar apenas com amigas. O que torna importante investir mais no assunto.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados