Artigo

Instruções para lavar louças

25 de Setembro de 2020 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por Marcus Vinicius Martins Antunes, advogado

Júlio Cortázar, como se sabe, deu instruções para subir escadas, para chorar e outras. Seguem, como paráfrase, as instruções que o grande cronópio, talvez por lapso, não deu.

Após as refeições, é comum que permaneçam na mesa objetos úteis - copos, talheres, louças, e até panelas, às vezes. Por uma questão de higiene, para reutilizar esses objetos, devemos limpá-los dos resíduos.

Primeiro passo. Verifique se houve utilização de louça e talheres. Se não, desista da limpeza. Se houve, é caso de lavar a louça. Leve esses objetos para a cozinha, local normalmente desprovido de confortos, como sofás e almofadas.

A seguir, verifique se há uma depressão, um retângulo, com espaço para cima, com mais ou menos vinte centímetros de altura, por cinquenta de largura. E se há ali no centro um pequeno furo, feito propositadamente, com acabamento metálico. É para esgotamento. Trata-se de uma pia. Sobre ela, deve pender uma haste cilíndrica, fina, relativamente longa, também metálica - raramente de plástico - até o centro, ou pouco menos, com espaço vazio por dentro, e com a ponta curva, voltada para baixo. Caso contrário, a água, que sai para baixo, sairia para cima, desde que torcida uma peça de quatro braços curtos, de metal, como uma flor, mais perto da parede, ou uma só haste, puxada. Trata-se de uma torneira. Em alguns casos, a água pode ser quente.

Verifique se funciona. Ao lado dessa pia, deve haver um espaço. Ali se encontra um objeto, geralmente um frasco de plástico, que pode ter dentro um líquido (ou coloide). É o detergente, para limpeza. Bem próximo, junto, quase, verifique se há um objeto pequeno, quadrangular, poroso, de mais ou menos dez centímetros por cinco, e um dedo de espessura. Uma das faces é mais consistente, e costuma ter uma cor. A outra face, de cor distinta, em geral, é mais maleável. Normalmente chamamos esponja. Ali se deve espargir o líquido já referido.

Prestando atenção, se vê que um pouco do líquido com um pouco de água produzirá algumas bolhas pequenas, espuma. Finalmente, poderá haver, não é obrigatório, um objeto, de plástico ou metal, mais ou menos quarenta ou cinquenta centímetros por trinta, como se fosse uma grade, na parte inferior, naquela depressão ao lado da pia. Não se confunda a primeira com a segunda a pia. Ali se poderão depositar pratos, talheres, louças, etc. É uma secadora. Tudo verificado, examine o ambiente. Isole-o. Interdite a entrada. Traga então a referida louça para a cozinha. No seu caso, a entrada é possível. Deposite-a em lugar adequado, a curta distância da pia. Pode haver música de fundo, suave, de preferência.

Classifique os referidos objetos, por forma, por grau de adesão, consistência, tipo de substânciados detritos e por quantidade de gordura. Se necessário, remova detritos com papel comum ou jornal, tomado emprestado de um vizinho, se necessário, antes de lavar. Mas ponha-os em lugar adequado, não na pia. Apanhe a esponja e o frasco. Um de cada vez. Sua posição diante da pia deverá, se possível, preservar a coluna. Os braços penderão para dentro. Cuide para ter as mangas arregaçadas, se houver mangas. Ponha um pouco desse líquido, na esponja, não na pia. Abra a torneira, de leve. Umedeça a esponja. Comece com copos. Ao atritar, de leve, a referida esponja, com o copo, note que a espuma poderá aumentar. Não há inconveniente nisso. Ao continuar, notará que os resíduos desaparecerão, depois de levados ao jorro da torneira, por mais de uma vez. Nunca esqueça de com uma mão segurar o objeto, enquanto a outra fricciona. Não há indicação de mão obrigatória, sendo a direita mais firme para segurar o objeto. Assim deverá ser feito com todos os objetos. Tudo então poderá ser depositado na secadora. Ela não age por si. Permanece passiva. Esse procedimento deve levar vários minutos, ou até uma hora.

Ao final, haverá considerável volume de louça na secadora, quase seca. Mas somente depois de certo tempo. Para um efeito mais importante, o pano poderá então ser passado na louça. É um objeto tecido, de origem vegetal, de qualquer cor. Após essa faina, examine cada um contra a luz. Verá que nada sobrou dos detritos. Saia então da cozinha. Somente volte se houver outro motivo.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados